Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da suplementação de ômega 3 na atrofia muscular induzida por suspensão caudal e hipertrofia induzida pelo re-uso em camundongos C57BL6 submetidos à uma dieta hiperlipídica

Processo: 13/19429-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2014
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Sandro Massao Hirabara
Beneficiário:Luís Gustavo Oliveira de Sousa
Supervisor no Exterior: Sue C. Bodine
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of California, Davis (UC Davis), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:10/18921-7 - Vias de síntese e degradação de proteínas na resistência à insulina por dieta hiperlipídica: efeito da suplementação com ácidos graxos ômega-3 e do treinamento físico aeróbio, BP.DR
Assunto(s):Fisiologia

Resumo

A resistência à insulina (RI) é um quadro comum em diversas condições patológicas, tais como obesidade, diabetes tipo 2 e síndrome metabólica. Nessas condições, é observado aumento nas concentrações séricas de citocinas pró-inflamatórias e no estresse oxidativo, o qual pode ter importante papel na ativação de vias relacionadas ao processo de atrofia muscular, contribuindo para redução da área de secção transversa e para mudança fenotípica das fibras, fato associado à intolerância ao esforço, à piora da qualidade de vida e ao aumento da mortalidade. Um dos principais sistemas que contribui para a degradação proteica no músculo esquelético é o Sistema Ubiquitina Proteassoma (SUP). Esse complexo proteolítico contribui de forma significativa para a atrofia muscular, por aumentar a degradação das proteínas citosólicas em diversas condições patológicas, como o câncer, o Diabetes tipo 2 e a obesidade. O processo de atrofia muscular é regulado por duas principais Ubiquitinas ligases, conhecidas como MAFbx/Atrogin-1 e MuRF1. A elevação na expressão desses genes está associada com o aumento na degradação proteica e a redução da síntese. Por outro lado, a suplementação de ácidos graxos poliinsaturados ômega 3 (AG-N3), têm sido proposta como estratégia preventiva para várias doenças, sendo que estudos recentes têm demonstrado possível efeito modulador no processo de degradação em diversas condições catabólicas como a sepse, caquexia, câncer e jejum. Nesse sentido, a obesidade pode reduzir o processo de síntese, além de aumentar as vias de degradação proteica, em especial o SUP em um modelo que induz hipertrofia (Ablação). Porém, ainda não está bem estabelecido se a suplementação com AG-N3 pode prevenir ou atenuar o processo de atrofia muscular. Assim, o presente projeto tem como objetivo investigar se a RI induzida por uma dieta hiperlipídica pode modular a ativação das vias relacionadas com os processos de síntese e degradação proteica durante o processo de atrofia e de recuperação da massa muscular, e verificar o possível efeito preventivo ou atenuador da suplementação com o AG-N3. Para tanto, camundongos C57BL/6 serão suplementados ou não com o AG-N3 e submetidos a uma dieta balanceada ou hiperlipídica por 15 semanas. Hipotetizamos que a RI induzida por uma dieta hiperlipídica pode aumentar a ativação do SUP e da via das Calpaínas, contribuindo para a maior atividade das vias de degradação proteica, além de reduzir a ativação nas vias de síntese no músculo esquelético, o que levaria ao processo de atrofia durante o período de suspensão, além de inibir a recuperação da massa muscular quando submetido ao re-uso. Assim, propomos que a suplementação com o AG-N3 pode prevenir esses efeitos. (AU)