Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel da proteína PKR na interação da microbiota intestinal com a barreira intestinal nas respostas metabólicas do hospedeiro

Processo: 13/23053-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 15 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 14 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Niels Olsen Saraiva Câmara
Beneficiário:Andréa Moro Caricilli Blotta
Supervisor no Exterior: Gokhan S. Hotamisligil
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Harvard University, Cambridge, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:11/19247-0 - Efeito do ácido graxo de cadeia curta butirato na modulação do perfil metabólico e do processo inflamatório intestinal em camundongos com obesidade induzida por dieta hiperlipídica, BP.PD
Assunto(s):Microbioma gastrointestinal   Obesidade   Inflamação

Resumo

A proteína kinase dependente de RNA de dupla fita (PKR) representa um componente essencial que integra resposta a patógeno e vias metabólicas que desempenham um papel crítico na homeostase metabólica, controlando a ativação de proteínas fundamentais como JNK e IKK. Em camundongos obesos, a ativação de PKR é associada com prejuízo da sinalização da insulina e intolerância à glicose. A ativação de PKR está associada também à ativação do inflamassoma e do estresse de retículo endoplasmático. Entretanto, os ligantes de PKR ainda são desconhecidos. É possível que lipídios provenientes de dieta ativem PKR e inflamassoma diretamente, mas também componentes provenientes da microbiota intestinal podem ter um papel como ligantes desse sensor de patógenos em indivíduos obesos, dado que a obesidade e suas alterações metabólicas têm sido associadas a mudanças na composição da microbiota intestinal. Essas alterações da microbiota são correlacionadas com aumento da absorção de lipopolissacarídeo (LPS) quando se administra dieta hiperlipídica, em decorrência do aumento da permeabilidade intestinal, levando ao aumento da expressão de marcadores inflamatórios. No entanto, os mecanismos pelos quais ocorre a alteração da barreira intestinal no contexto da obesidade ainda são parcamente compreendidos. PKR, sendo um sensor de nutrientes e de patógenos, transmite informações nutricionais e metabólicas locais para coordenar respostas imunológicas. Assim, estudar PKR na interface onde essa proteína reconhece tanto componentes da microbiota quanto nutrientes é uma oportunidade única de se integrar respostas imunes e metabólicas, contribuindo para a compreensão de mecanismos moleculares que levam à inflamação e à resistência à insulina na obesidade, com grande potencial para a busca por alvos farmacológicos de tratamento da obesidade e doenças associadas. (AU)