Busca avançada
Ano de início
Entree

Financeirização da pobreza e reconfigurações da periferia metropolitana em São Paulo

Processo: 13/50210-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Fabio Betioli Contel
Beneficiário:Marina Regitz Montenegro
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Pobreza   Território   Finanças   Globalização   Consumo

Resumo

No período atual, as finanças e a Informação vêm consolidando seu papel predominante na organização da vida social e dos territórios como um todo, e em especial nas grandes cidades (SANTOS, 1996; CHESNAIS, 1998). No bojo deste processo, estabelecem-se novos nexos entre a urbanização e o fenômeno financeiro que têm abarcado, hoje, também parcelas empobrecidas da população e áreas menos valorizadas dos tecidos urbanos. No Brasil, o avanço da urbanização, nos últimos anos, tem sido acompanhado pela maior concentração relativa da pobreza nas maiores cidades. Por outro lado, esta mesma população empobrecida também tem participado, cada vez mais, de um consumo moderno e dos nexos financeiros. Os dinamismos da economia pobre nas metrópoles brasileiras tornam-se, assim, crescentemente complexos; haja vista a conformação de um cenário paradoxal em que a expansão do consumo e da financeirização entre as camadas de baixa renda se combina à concentração da pobreza nas grandes cidades. Frente a este contexto, caberá a investigação aqui proposta analisar certos dinamismos desta nova pobreza na metrópole de São Paulo, atentando especificamente ao processo de financeirização e às transformações das práticas de consumo entre a população de baixa renda, assim como à reconfiguração da periferia inserida recentemente na topologia de grandes redes comerciais e de serviços. Pretendemos, assim, aprofundar a compreensão das atuais relações entre urbanização, pobreza e finanças em um contexto de avanço do processo de oligopolização não só do mercado, mas do próprio território metropolitano. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
O impacto do fenômeno financeiro nas periferias das grandes cidades