Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos de interação de macrófagos frente à espécie Sporothrix brasiliensis

Processo: 13/19213-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Sandro Rogerio de Almeida
Beneficiário:Luana Rossato
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/18598-7 - Papel de receptores de reconhecimento padrão (PRRs) na ativação de macrófagos nas infecções fúngicas cutâneas causadas por Fonsecaea pedrosoi, Sporothrix schenckii e Trichophyton rubrum, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):15/20290-9 - Análise proteômica comparativa entre Sporothrix brasiliensis e Sporothrix schenckii, BE.EP.DR
Assunto(s):Micologia   Macrófagos

Resumo

A esporotricose apresenta-se como uma micose subcutânea causada pelo fungo dimórfico Sporothrix sp. que acomete o homem e uma grande variedade de animais, como cães, gatos, bovinos e eqüinos. Tem como habitat, solo rico em matéria orgânica e ambientes quentes e úmidos. No Brasil, a esporotricose em animais era considerada rara, com poucos casos descritos, no entanto, nos últimos anos o número de casos desta micose aumentou, tanto em felinos domésticos quanto em humanos, o que alertou para a importância da esporotricose em saúde pública. Nas últimas décadas o felino doméstico vem ganhando evidência na transmissão da esporotricose para humanos através da arranhadura e mordedura. O desenvolvimento de lesões no local de inoculação do fungo está relacionado com o sistema imunológico do hospedeiro, quantidade e virulência do agente inoculado, acarretando lesões do tipo cutâneo (fixa, linfocutânea e disseminada) e extracutânea (articular, óssea, ocular, pulmonar e sistêmica). Até pouco tempo atrás se acreditava haver somente uma espécie representante do gênero Sporothrix: Sporothrix schenckii. No entanto, estudos moleculares recentes mostram que, o gênero Sporothrix engloba pelo menos seis espécies distintas. Dentre elas a maior causadora de surtos epidêmicos, comprovada virulência e com ausência de avaliação da resposta imune é a espécie Sporothrix brasiliensis. Em virtude disso, pesquisas envolvendo a resposta imune do hospedeiro, mais especificamente, a interação com macrófagos frente à espécie de Sporothrix brasiliensis, tornam-se necessárias para elucidar esses mecanismos efetores e melhor compreender a resposta imunológica do hospedeiro.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ROSSATO, LUANA; DOS SANTOS, SUELEN SILVANA; FERREIRA, LUCAS GONCALVES; DE ALMEIDA, SANDRO ROGERIO. The importance of Toll-like receptor 4 during experimental Sporothrix brasiliensis infection. Medical Mycology, v. 57, n. 4, p. 489-495, JUN 2019. Citações Web of Science: 0.
ROSSATO, LUANA; DOS SANTOS, SUELEN SILVANA; FERREIRA, LUCAS GONCALVES; DE ALMEIDA, SANDRO ROGERIO. The impact of the absence of Toll-like receptor-2 during Sporothrix brasiliensis infection. Journal of Medical Microbiology, v. 68, n. 1, p. 87-94, JAN 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.