Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da poluição atmosférica na Região Metropolitana de São Paulo a partir de medidas de sensoriamento remoto: uma análise comparativa com medições in situ

Processo: 13/21486-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 30 de novembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Nilton Manuel Évora do Rosário
Beneficiário:Gabriela Resende D'Alessio
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Assunto(s):Qualidade do ar   Poluição atmosférica   Material particulado   Sensoriamento remoto

Resumo

O monitoramento da poluição do ar é fundamental para a caracterização dos seus impactos. A despeito da sua acurácia e importância, monitoramento in situ não provê cobertura espacial suficiente para ampla análise da poluição nas escalas regional e global. Neste quesito, o método com maior potencial é o sensoriamento remoto (SR). No entanto, o uso de dados de SR pelas agências de monitoramento e controle da qualidade é incipiente, particularmente no Brasil. A principal razão é o desafio de traduzir medidas de SR, representativas da coluna atmosférica, em informações acuradas referentes à qualidade do ar próxima da superfície. Nesse contexto, a variabilidade na distribuição vertical da poluição é apontada como um dos pontos críticos para o uso dos produtos de sensoriamento remoto. O objetivo geral do presente projeto é investigar a relação entre a profundidade óptica do material particulado (Ä_MP), uma medida do SR da abundância de material particulado (MP) integrado na coluna atmosférica, e a concentração do MP na superfície para a Região Metropolitana de São Paulo. Com foco na problemática do perfil vertical do MP, o projeto propõe uma abordagem que se baseia na correção da dependência da relação entre Ä_MP e a concentração de MP na superfície a partir da estrutura vertical do MP simulada por um modelo de qualidade do ar. A expectativa é que esta sinergia entre dados de sensoriamento remoto e perfis verticais do modelo da qualidade do ar produza uma distribuição espacial mais acurada da poluição na superfície. Para o Brasil, um país de dimensão continental, a integração de medidas de SR aos indicadores utilizados para caracterizar a qualidade do ar é fundamental.