Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da expressão de metaloproteinases da matriz em células satélites gliais do gânglio trigeminal de ratos portadores de inflamação da articulação temporomandibular persistente submetidos a laserterapia de baixa intensidade

Processo: 13/15588-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Christie Ramos Andrade Leite Panissi
Beneficiário:Amanda de Carvalho Desiderá
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia   Metaloproteinases da matriz   Mediadores da inflamação   Disfunção temporomandibular   Gânglio trigeminal

Resumo

A dor é a principal sintomatologia capaz de levar indivíduos a buscar tratamento médico-odontológico. Na odontologia estima-se que cerca de 40 a 75% da população sofra de dor de origem orofacial e tenha pelo menos um sinal ou sintoma de disfunção temporomandibular (DTM). A DTM corresponde a um quadro patológico de caráter multifatorial e acomete articulação temporomandibular e músculos mastigatórios, ocasionando dores na região orofacial bom como alterações na realização de movimentos bucais. O principal sinal desta enfermidade é a inflamação articular, a qual gera dor nas estruturas relacionadas. A inflamação, por sua vez, leva a liberação de mediadores tais como, substância P, CGRP, além de TNF-± e IL-². Estes mediadores são capazes de sensibilizar terminações nervosas livres e a informação nociceptiva caminha a primeira estação central, o gânglio trigeminal. A inflamação quando persistente leva a expressão das chamadas metaloproteinases da matriz (MMP), cuja ação promove a modulação de vias de percepção da dor, sendo as células satélites gliais (CSGs) uma das principais estruturas envolvidas na modulação da percepção nociceptiva. Com isso, são buscadas terapêuticas não invasivas eficientes para atenuar a sintomatologia dolorosa advinda da DTM, a laserterapia mostra-se como um tratamento eficiente, porém seu efeito dose-dependente gera resultados ambíguos. Nesse contexto o presente trabalho tem como objetivos verificar os biomarcadores inflamatórios presentes no fluido sinovial em ratos portadores de inflamação persistente da ATM, bem como identificar se as MMPs atuam sobre as CSGs ou neurônios, por meio de técnicas de imunohistoquímica. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.