Busca avançada
Ano de início
Entree

Imunodetecção de ALDH-1 e Oct-4 em neoplasias mamárias caninas

Processo: 13/17997-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Geórgia Modé Magalhães
Beneficiário:Juliana Pistore Ragazzi
Instituição-sede: Pró-Reitoria Adjunta de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade de Franca (UNIFRAN). Franca , SP, Brasil
Assunto(s):Oncologia veterinária   Imuno-histoquímica   Oncologia   Cães   Células-tronco neoplásicas

Resumo

Os marcadores de superfície celular ALDH-1 e Oct-4 estão relacionados com a identificação de Células-tronco tumorais (CTTs). Estima-se que a presença dessas células nas neoplasias esteja relacionada com prognósticos desfavoráveis. Uma CTT é uma célula capaz de se auto-renovar, ter habilidades para formar metástase e está associada com a resistência a quimioterápicos. Em neoplasias mamárias caninas essas CTTs já foram isoladas pelas técnicas de citometria de fluxo e imuno-histoquímica através dos marcadores de superfície CD44+/CD24-. Autores relatam que em neoplasias mamárias humanas o marcador para CTT, ALDH-1 está mais relacionado com fatores prognósticos do que o fenótipo CD44+/CD24-. O Oct-4 é um outro marcador de CTT já testado por citometria de fluxo em culturas celulares de neoplasias mamárias caninas. Com isso, objetiva-se detectar a presença de CTTs pelos marcadores ALDH-1 e Oct-4 em cortes de parafina de neoplasias mamárias caninas e relacionar com o grau de malignidade. Serão utilizadas 40 amostras de neoplasias mamárias caninas, sendo 10 adenomas, carcinomas tubulares grau I, grau II e grau III. A técnica de imuno-histoquímica a ser empregada será o pelo polímero. O conhecimento dessas células pode fornecer elementos que levem à melhor compreensão da carcinogênese mamária e com isso seja possível aperfeiçoar o prognóstico e o tratamento desses tumores. Ao mesmo tempo, estes resultados podem ser utilizados em estudos de patologias comparadas. Mais importante ainda seria a contribuição desses resultados para a oncologia veterinária, já que existem poucos estudos com CTT em tumores mamários na cadela.