Busca avançada
Ano de início
Entree

Inibição crônica do receptor de insulina na amígdala: efeitos no metabolismo energético

Processo: 13/22321-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Mario Jose Abdalla Saad
Beneficiário:Fernanda Machado Chaves
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07607-8 - CMPO - Centro Multidisciplinar de Pesquisa em Obesidade e Doenças Associadas, AP.CEPID
Assunto(s):Amígdala   Fisiologia endócrina   Metabolismo energético   Obesidade   Insulina   Receptor de insulina   Tonsila do cerebelo   RNA interferente pequeno   Modelos animais

Resumo

A obesidade vem crescendo de forma exponencial em todo o mundo e está associada a várias comorbidades. Portanto, o estudo dos mecanismos moleculares relacionados ao desenvolvimento da obesidade é de extrema relevância na atualidade. A maior parte dos estudos teve como foco a ação e sinalização de insulina no hipotálamo na regulação da homeostase energética. Entretanto, a insulina tem efeitos em outras regiões do sistema nervoso, tal como a amígdala. Esta região integra o sistema dopaminérgico de recompensa e metabólico, e tem sido considerada como uma possível área de regulação da ingestão alimentar. Assim, o primeiro objetivo do presente estudo é investigar se a inibição crônica da expressão do receptor de insulina, por siRNA, especificamente na amígdala altera: peso corpóreo, massa adiposa, ingestão alimentar, gasto energético e quociente respiratório. De forma complementar, o segundo objetivo do estudo é investigar se os animais com siRNA têm alterações nos níveis séricos de insulina, leptina, grelina, adiponectina e glicose. Nessa mesma linha, o terceiro objetivo do estudo é investigar os animais com siRNA apresentam alterações no metabolismo da glicose e da insulina, por meio do teste de tolerância à glicose, teste do piruvato e teste de tolerância à insulina. A amígdala é uma região cerebral importante para o controle das respostas ao estresse e ansiedade. Estas respostas são mediadas pela liberação de neuropeptídeos. Assim, o quarto objetivo do presente estudo é investigar se a inibição crônica da expressão do receptor de insulina especificamente na amígdala altera a expressão de neuropeptídeos ligados ao metabolismo energético como NPY e CRH nesta região do cérebro.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.