Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da participação da NAD(P)H oxidase e tecido adiposo perivascular (TAPV) nos efeitos vasculares induzidos pelo consumo agudo de etanol

Processo: 13/20197-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Carlos Renato Tirapelli
Beneficiário:Gabriela Harumi Teshima
Instituição-sede: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Disfunção endotelial   Etanol   Espécies de oxigênio reativas   Apocinina   Tecido adiposo perivascular

Resumo

O consumo agudo de etanol induz aumento transitório da pressão arterial e alteração da reatividade vascular. Essa última resposta está associada ao aumento do estresse oxidativo e redução da biodisponibilidade do óxido nítrico (NO). O passo inicial para a disfunção vascular associada ao consumo de etanol envolve a formação de espécies reativas de oxigênio (ERO) e redução da biodisponibilidade do óxido nítrico (NO). A enzima NAD(P)H oxidase é uma importante fonte geradora de ERO na vasculatura. A importância fisiopatológica das NAD(P)H oxidases tem sido avaliada em diversos modelos experimentais de disfunção cardiovascular in vivo e in vitro, através do uso de inibidores desta enzima. A apocinina (APO) é a principal ferramenta farmacológica utilizada com esse propósito, pois exibe efeito de inibição da NAD(P)H oxidase e antioxidante em uma variedade de células e modelos animais. Atualmente já está estabelecida a importância do tecido adiposo perivascular (TAPV) na modulação da função vascular e os mecanismos dos efeitos anticontráteis promovidos por esse tecido têm sido estudados. O TAPV expressa componentes do sistema renina-angiotensina, a enzima eNOS e a NAD(P)H oxidase, sendo portanto uma fonte geradora de ERO e NO. Em conjunto, esses elementos produzidos pelo TAPV participam da regulação do funcionamento e manutenção do tônus vascular. No entanto, a participação do TAPV nas alterações vasculares provocadas pelo etanol ainda não foram investigada. A hipótese do presente estudo é a de que o consumo agudo de etanol irá induzir a produção de ERO na vasculatura e no TAPV via NAD(P)H oxidase, fato que irá alterar a modulação que o TAPV tem sobre a resposta vascular. Portanto, o objetivo do presente estudo é avaliar a participação da NAD(P)H oxidase, por meio de sua inibição pela APO, e do TAPV nos efeitos vasculares induzidos pelo consumo agudo de etanol.