Busca avançada
Ano de início
Entree

ANÁLISE DA PROTEÍNA QUIMIOTÁTICA DE MONÓCITOS-3 (CCL7) EM GESTANTES HIPERGLICÊMICAS COM INCONTINÊNCIA URINÁRIA: Coorte prospectiva da gestação até seis meses pós-parto.

Processo: 12/25060-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Marilza Vieira Cunha Rudge
Beneficiário:Fernanda Piculo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Gravidez   Diabetes gestacional   Incontinência urinária

Resumo

A hiperglicemia gestacional leve (HGL) e o Diabetes mellitus gestacional (DMG), denominados como hiperglicemia gestacional no estudo, têm consequências importantes para a mãe, o feto e o recém-nascido. A associação entre hiperglicemia gestacional e incontinência urinária é escassa na literatura. Nosso grupo de pesquisa acadêmico "Diabete e Gravidez - Clínico e Experimental" da Faculdade de Medicina de Botucatu-Unesp tem estudado os aspectos translacionais da hiperglicemia gestacional relacionada à incontinência urinária no sexo feminino e também em modelos animais. Os resultados ajudam a elucidar os mecanismos fisiopatológicos que conduzem aos distúrbios do assoalho pélvico feminino em mulheres com DMG e HGL, mas há necessidade de mais pesquisas para ampliar a compreensão dos fenômenos que resultarão no melhor atendimento às pacientes. Considerando que a proteína quimiotática de monócitos-3 (CCL7) é um importante fator para o mecanismo de recuperação da incontinência urinária, nossa hipótese é que as pacientes portadoras de DMG ou de HGL apresentem alteração nos níveis de CCL7 e isto retarde/impeça a migração de células tronco mesenquimais para o local de lesão causada por IU, causando consequências no período pós-parto. Assim, a proposta deste estudo é estudar os níveis de CCL7 em gestantes hiperglicêmicas com incontinência urinária desde o início da gestação até seis meses pós-parto, além de examinar as correlações entre a progressão da incontinência urinária e os níveis séricos de CCL7. Esta identificação poderá indicar o CCL7 como possível biomarcador de recuperação da IU nas mulheres hiperglicêmicas no período gestacional e pós-parto e posteriomente estabelecer intervenção terapêutica eficaz com base fisiopatológica consistente. A análise estatística, bem como a escolha pelos testes de comparação entre as variáveis e grupos, serão executadas respeitando os pressupostos determinados pelos resultados, características e comportamento das variáveis.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
PICULO, Fernanda. Análise da proteína quimiotática de monócitos-3 (CCL7) em gestantes hiperglicêmicas com incontinência urinária coorte prospectiva da gestação ao primeiro ano pós-parto. 2017. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Medicina..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.