Busca avançada
Ano de início
Entree

Cryptococcus sp, isolamento ambiental: caracterização bioquímica

Processo: 13/21327-8
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Márcia Marinho
Beneficiário:Cyndi Yuri Uchida
Instituição Sede: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Saúde pública   Ecoepidemiologia   Materiais biológicos   Cryptococcus gattii   Cryptococcus neoformans   Caracterização
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:ambiental | Cryptococcus gatti | Cryptococcus neoformans | eco-epidemiologia | Saúde Pública | Medicina Veterinária Preventiva

Resumo

O gênero Cryptococcus é composto por espécies de micro-organismos com potencial patogênico e outros saprófitas ambientais, sendo considerado como um patógeno oportunista, podendo acometer animais domésticos, principalmente cão e o gato, silvestres, aves e o homem. Ocasionando, consequentemente infecções graves em pacientes imunossuprimidos e ou imunocompetentes, no caso específico do Cryptococcus neoformans e Cryptococcus gattii, respectivamente. O agente etiológico corresponde a um fungo leveduriforme responsável por processos nodulares cutâneos, sendo o pulmão e o cérebro órgãos alvos. A principal via de infecção é a respiratória, através da inalação de propágulos presentes no ambiente. A variedade neoformans é cosmopolita e está relacionada a várias fontes ambientais como solo contaminados por excretas de aves, principalmente, pombos, enquanto que a gattii encontra-se relacionado a plantas, de regiões tropicais e subtropicais, ambos permanecendo latentes por um bom tempo, quando presente em excretas e ou material biológico em decomposição. O presente trabalho visa investigar a presença de Cryptococcus neoformans e Cryptococcus gatti a partir de amostras ambientais, de áreas públicas, de diferentes locais da cidade de Araçatuba - São Paulo. A maior compreensão da ecologia do fungo, permitirá conhecer novos nichos ambientais, contribuindo assim para a elaboração do perfil eco-epidemiológico do Cryptococcus sp. com o intuito de se desenvolver estratégias que coíbam possíveis rotas de transmissão.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)