Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do consumo excessivo de oxigênio e de sinais vitais durante recuperação pós-esforço físico máximo de tabagistas

Processo: 13/17156-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 30 de novembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Ercy Mara Cipulo Ramos
Beneficiário:Camila Aguiar Santiago
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Hábito de fumar   Tabagismo   Fisioterapia respiratória   Sinais vitais

Resumo

Introdução: Sabe-se que tabagistas apresentam uma qualidade de vida reduzida e que isso pode influenciar no esforço físico, a recuperação pós-atividade física do tabagista tende a ser mais lenta quando comparada ao não tabagista, no entanto não há estudos que comparem essa recuperação avaliando sinais vitais, além do consumo de O2, após um esforço máximo de exercício. Objetivos: Avaliar e comparar o comportamento dos sinais vitais e do consumo de oxigênio imediatamente após esforço físico máximo de tabagistas e não tabagistas através de valores de cinéticas do consumo excessivo de oxigênio (EPOC), frequência cardíaca (FC), pressão arterial (PA) e valores de saturação parcial de oxigênio no sangue arterial. Métodos: Tabagistas e não tabagistas com idade entre 30 e 50 anos, possuindo função pulmonar normal atestada por espirometria serão submetidos à um teste progressivo exaustivo em esteira, e após a exaustão, o consumo de oxigênio será mensurado durante cinco minutos do período de recuperação para a determinação das variáveis correspondentes ao EPOC. Adicionalmente, os sinais vitais: pressão arterial frequência cardíaca e saturação de oxigênio serão avaliados nos 1º, 3º e 5º minutos. Análise estatística: Para análise dos dados será utilizado o programa estatístico Graphpad Prism. A normalidade na distribuição dos dados será avaliada por meio do teste de Shapiro-Wilk e a descrição dos resultados será realizada como média ± desvio padrão, com exceção de variáveis com distribuição não normal, que serão descritas como mediana (intervalo interquartílico 25-75). Para análise intergrupos (tabagistas e não tabagistas) será utilizado o teste t não pareado ou teste de Mann-Whitney dependendo da normalidade dos dados. O nível de significância utilizado será de p<0,05.