Busca avançada
Ano de início
Entree

Revisão taxonômica das espécies de Brachytydeus Thor 1931 sensu André 2005 (Acari: Tydeidae, Tydeinae) associadas à Hevea spp. no Brasil

Processo: 13/18265-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Reinaldo José Fazzio Feres
Beneficiário:Alexandre de Souza Mondin
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Acari   Zoologia (classificação)   Seringueira

Resumo

Brachytydeus Thor (1931) é composto por mais de 170 espécies distribuídas por todo o planeta. São encontrados em abundância em levantamentos da acarofauna associada a seringueiras (Hevea brasiliensis Muell Arg.) no Brasil. O gênero é pouco conhecido e muitas espécies coletadas não são nominalmente identificadas, sendo mencionadas apenas como morfoespécies. O gênero Lorryia foi proposto por Oudemans (1925) com base em L. superba (espécie tipo do gênero), e foi diferenciado de Tydeus pela ornamentação dorsal do idiossoma: Lorryia com padrão reticulado, enquanto Tydeus com padrão estriado. Atualmente, os dois gêneros são diferenciados pela quetotaxia das pernas. Andre (2005) propôs que Brachytydeus fosse considerado sinônimo sênior de Lorryia, já que as espécies antes designadas como Lorryia por Kazmierski (1998) apresentavam a mesma quetotaxia de Tydeus cruciatus Koch (1838), sendo esta a espécie-tipo de Brachytydeus Thor (1931). Dessa forma considerou Lorryia como um gênero monoespecífico, tendo apenas a espécie-tipo como representante. Essas mudanças ainda não são seguidas por todos os especialistas e os recentes trabalhos de levantamento de ácaros ainda não adotaram essa proposta. Um problema com os Tydeidae é a grande dificuldade para a identificação dos indivíduos ao nível de espécie, já que há uma carência de especialistas no grupo no Brasil, além do elevado número de morfoespécies registradas nos trabalhos de levantamento. Além disso, B. formosus é a única espécie nominal registrada para a cultura de seringueira, e é possível que muitos dos indivíduos tenham sido identificados erroneamente e correspondam a mais de uma espécie. Por outro lado, outras já reconhecidamente pertencentes a diferentes espécies, ainda não estão identificadas nominalmente. Dessa forma, este projeto terá como enfoque a revisão taxonômica das espécies de Brachytydeus associadas a seringueiras silvestres e de monocultivos e assim proceder à correta identificação das espécies desse gênero, bem como gerar novas descrições. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
NUVOLONI, FELIPE M.; MONDIN, ALEXANDRE DE S.; FERES, REINALDO J. F. Review of Lorryia Oudemans, 1925 (Acari: Tydeidae: Tydeinae) associated with Hevea spp. in Brazil. INTERNATIONAL JOURNAL OF ACAROLOGY, v. 46, n. 4, p. 235-240, MAY 18 2020. Citações Web of Science: 1.
MONDIN, ALEXANDRE DE SOUZA; NUVOLONI, FELIPE MICALI; FAZZIO FERES, REINALDO JOSE. Four new species of Lorryia (Acari: Tydeidae) associated with Hevea brasiliensis Muell. Arg. (Euphorbiaceae) in Brazil. Zootaxa, v. 4158, n. 4, p. 473-490, AUG 31 2016. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.