Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento do esquema MIQ para curimbatá (Prochilodus lineatus)

Processo: 13/19531-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Judite das Graças Lapa Guimarães
Beneficiário:Carolina Franchi Ruiz
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Prochilodus lineatus   Peixes   Armazenagem de alimentos   Qualidade dos alimentos

Resumo

O consumo de peixe vem crescendo com o aumento da preocupação da população com hábitos mais saudáveis. Porém, o pescado é um alimento muito perecível, dificultando a preservação de sua qualidade durante a comercialização, e fazendo com que o frescor seja uma de suas características mais valorizadas. Há décadas a avaliação sensorial é considerada a técnica mais satisfatória para determinar o frescor e classificar o pescado e produtos de pescado, porém recentemente lhe foi dada uma importância ainda maior, uma vez que é o único método de que os consumidores dispõem para mensurar a qualidade deste alimento. O Método do Índice de Qualidade (MIQ) é uma técnica sensorial espécie-específica que tem sido utilizada com sucesso na avaliação do pescado. O objetivo da metodologia é obter uma correlação linear entre a qualidade sensorial expressa pela soma de pontos de demérito (IQ) e o tempo de armazenamento em gelo, tornando possível prever a vida útil do pescado. Este trabalho tem como objetivo estudar o processo de deterioração e desenvolver esquema MIQ para curimbatá (Prochilodus lineatus), peixe de água doce com alta disponibilidade em rios brasileiros e crescente produção na aquicultura. Para tantos lotes de curimbatá serão armazenados em gelo e por um período de até 3 semanas e avaliados por provadores treinados para desenvolvimento e aplicação do MIQ. Também serão submetidos a análises físico-químicas e microbiológicas. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.