Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de parâmetros morfológicos, físicos e químicos de solos das baias, Pantanal da Nhecolândia

Processo: 13/21591-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Sheila Aparecida Correia Furquim
Beneficiário:Thiago Tavares Vidoca Do Nascimento
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/22491-0 - Solos do Pantanal da Nhecolândia: caracterização, gênese e mineralogia, AP.JP
Assunto(s):Pedologia

Resumo

Uma característica de destaque da Nhecolândia, uma sub-região do Pantanal Sul-Mato-Grossense, é a presença de cerca de 7000 lagoas de água doce (baías), situadas no interior de cursos d'água intermitentes (vazantes), e de 1500 lagoas salgadas (salinas), situadas no interior das áreas mais elevadas da paisagem (cordilheiras). Os poucos dados disponíveis na literatura, derivados principalmente de observações de campo, mostram que os solos das baías são majoritariamente pouco desenvolvidos, com sequência de horizontes A e C, arenosos e ácidos. Em algumas baías, entretanto, ocorrem horizontes B morfologicamente semelhantes aos presentes nos Solos Salino- Sódicos, tipicamente associados às lagoas salinas. Esta condição aponta para uma ligação genética entre as salinas e as baías, sugerindo que os horizontes B das baías sejam remanescentes ou relíquias dos solos de antigas salinas, provavelmente destruídas devido ao aporte de águas doces superficiais das inundações.Desta forma, pretende-se estudar neste projeto as características morfológicas, físicas e químicas de solos das baías, especificamente daqueles com presença de horizontes B, com a finalidade de compará-los a horizontes B similares encontrados nos arredores das lagoas salinas e estabelecer possíveis relações genéticas. Pretende-se adotar a hipótese apontada no parágrafo anterior, de que os horizontes B das baías são originados por transformação dos solos das salinas, devido a mudanças no regime hidrológico da área.