Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da participação do sistema do peptídeo liberador de gastrina sobre o desempenho de ratos na tarefa de esquiva inibitória de múltiplas tentativas após privação de sono

Processo: 13/21605-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2014
Vigência (Término): 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Débora Cristina Hipólide
Beneficiário:Larissa Beatriz Torres Ferreira
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Psicobiologia   Bombesina   Peptídeo liberador de gastrina   Privação de sono   Memória (psicologia)

Resumo

Uma das abordagens que tem sido utilizada na busca por mecanismos envolvidos nos efeitos deletérios da privação de sono (PS) sobre a memória, avalia as mudanças nos sistemas de neurotransmissão, que podem envolver neuropeptídeos. O peptídeo liberador de gastrina (GRP) mostra-se envolvido com a modulação da memória. Doses baixas ou moderadas do agonista (peptídeo Bombesina), ou doses altas do antagonista (RC-3095), levam a uma melhora no desempenho em tarefas emocionais em roedores. O presente trabalho tem como objetivo avaliar a participação do sistema do GRP sobre o desempenho de ratos na tarefa de esquiva inibitória de múltiplas tentativas após PS. Em todos os experimentos os animais serão privados de sono pelo método das plataformas múltiplas, e serão submetidos a uma cirurgia de implante de cânulas bilaterais no hipocampo dorsal, na região CA1. A tarefa de esquiva inibitória de múltiplas tentativas será utilizada para a avaliação de memória, e será realizada em duas fases: sessão de treino e sessão de teste. A privação de sono será conduzida sempre após o treino da tarefa. Primeiramente iremos estabelecer o menor tempo de PS (24,48,72 ou 96 horas), em animais que passaram por procedimento cirúrgico para implante de cânulas, que tenha a propriedade de induzir prejuízo de desempenho na tarefa de memória. Estabelecido o tempo mínimo de PS, ocorrerá a administração crônica (durante o período de PS) do peptídeo Bombesina (doses de 0,01;0,05 e 0,25 µg), e do antagonista do GRP, o RC-3095 (doses de 1,3 e 10 µg). As drogas serão administradas em animais controle e privados de sono, que, posteriormente, serão submetidos a avaliação da memória através da tarefa de esquiva inibitória de múltiplas tentativas. (AU)