Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção e posterior semeadura de sementes de soja enriquecidas com molibdênio: qualidade fisiológica, alterações químicas e nutricionais, métodos e épocas de aplicação.

Processo: 13/05900-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Marco Eustaquio de Sa
Beneficiário:Carina Oliveira e Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Assunto(s):Proteínas   Vigor   Germinação

Resumo

A soja (Glycine max (L.) Merrill), assim como outras culturas, necessita de nutrientes para crescer e se reproduzir de maneira adequada, e estudos tem mostrado a importância do uso de molibdênio na cultua da soja, onde este tem grande importância no processo de fixação simbiótica do nitrogênio. Desta forma o trabalho em questão tem por objetivo produzir sementes de soja enriquecida com molibdênio em função doses do micronutriente aplicadas na cultura e verificar comportamento destas sementes quanto a qualidade fisiológica e nutricional, além de utilizar estas sementes de soja enriquecida com molibdênio para a semeadura na próxima safra, e analisar seu comportamento quanto a presença e ausência de molibdênio no inicio da cultura. O experimento está sendo desenvolvido na Fazenda de Ensino, Pesquisa e Extensão/UNESP - Campus de Ilha Solteira, localizada no município de Selvíria - MS (51º22'W, 20º22'S e altitude 335 m aproximadamente), em um Latossolo Vermelho distrófico álico e de textura argilosa. O experimento será realizado em dois anos, sendo que se utilizará uma cultivar, a BRS Valiosa RR, em ambos os anos, sendo que no primeiro ano será utilizada três doses de molibdênio, com quatro repetições. As doses de molibdênio a serem utilizadas são 0, 400 e 800 g Mo/ha e serão aplicadas via foliar, em duas aplicações a serem realizadas metade nos estádios R3 e outra metade em R6. No segundo ano as sementes obtidas no primeiro ano serão semeadas para formação de dois experimentos que serão conduzidos paralelamente, sendo que um experimento será realizado três métodos de aplicação, com quatro repetições. Os métodos de aplicação serão: sem aplicação de molibdênio, aplicação de molibdênio no momento da semeadura na dose de 25 g de Mo/ha, e aplicação via foliar no estádio V4 na dose de 25 g de Mo/ha. O segundo experimento seguirá o esquema fatorial 4 x 4 (épocas aplicação x doses), com quatro repetições. Serão realizadas quatro épocas de aplicação: V4, no pré-florescimento, em R3 e R5, segundo a descrição de Fehr et al. (1971), e as doses utilizadas serão 0, 25, 50 e 100 g de Mo ha. Serão realizadas as seguintes avaliações no primeiro ano: população final de plantas, características agronômicas, massa de 100 sementes, produtividade de sementes, teor de molibdênio nas sementes, qualidade fisiológica (% de germinação, primeira contagem de germinação, índice de velocidade de emergência, envelhecimento acelerado e condutividade elétrica) e nutricional (teor de óleo e proteína) das sementes. Para o segundo ano, as avaliações serão: estande final, características agronômicas, produtividade, qualidade fisiológica, além de avaliar os nutrientes foliares e número e peso da matéria seca dos nódulos por planta.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
OLIVEIRA, Carina Oliveira e. Produção e posterior semeadura de sementes de soja enriquecida com molibdênio: qualidade fisiológica, alterações químicas e nutricionais, métodos e épocas de aplicação.. 2015. 86 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Engenharia (Campus de Ilha Solteira)..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.