Busca avançada
Ano de início
Entree

Degradação do licor negro por fungos basidiomicetos de mata nativa

Processo: 13/15747-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Regina Teresa Rosim Monteiro
Beneficiário:Djanira Rodrigues Negrão
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Lignina   Toxicidade   Biodegradação   Enzimas   Fungos

Resumo

Este projeto iniciou em fevereiro de 2012, com a coleta de 24 isolados fúngicos de mata nativa, com o objetivo de estudá-los na degradação e detoxificação do licor negro. Este resíduo da indústria de celulose e papel possui grande importância ambiental dada pela elevada demanda química e bioquímica de oxigênio, lignina, compostos fenólicos, cor escura e pH alcalino. Os fungos coletados foram selecionados quanto à produção de enzimas ligninolíticas através do crescimento e descoloração da vinhaça e licor negro-ágar (20 e 5%, respec.). Nesta proposta, a detoxificação do licor negro será verificada pelo crescimento dos fungos através de metodologia aperfeiçoada durante estágio na Universidade de Toronto, Canadá, entre Agosto de 2012 a Fevereiro de 2013, que também almejou a detoxificação do licor negro e análise química da lignina. O crescimento micelial e atividade de enzimas lignolíticas (lacases e peroxidases) produzidas pelos fungos serão analisados durante seu crescimento em estado líquido, durante 18 dias. A cada três dias, alíquotas do sobrenadante serão analisadas por técnicas físico-químicas (DBO, DQO, presença de metais, perda de cor, pH), análises enzimáticas (lacases e peroxidases) e de biomassa. No mesmo momento, a lignina presente no licor negro será recuperada (precipitação ácida) e juntamente com os seus compostos (derivados da degradação enzimática), serão analisados por técnicas de cromatografia de exclusão de tamanho e gasosa, respectivamente. A perda de toxicidade do licor negro modificado enzimaticamente será avaliada expondo organismos aquáticos padronizados em testes ecotoxicológicos, tais como Hydra attenuata e Daphnia magna. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
NEGRÃO, Djanira Rodrigues. Modificações estruturais da lignina causada por fungos. 2015. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Centro de Energia Nuclear na Agricultura Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.