Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos de estabilidade eletroquímica e resistência à corrosão de superfícies nanoestruturadas de titânio

Processo: 13/23576-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 06 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 05 de março de 2014
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica
Pesquisador responsável:Nilson Tadeu Camarinho de Oliveira
Beneficiário:Julia Felipe Verdério
Supervisor no Exterior: Ricardo P. Nogueira
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université de Grenoble, França  
Vinculado à bolsa:12/17944-9 - "obtenção de nanoestruturas sobre a superfície de Ti CP e da liga Ti-15Mo para aplicações biomédicas", BP.IC
Assunto(s):Materiais nanoestruturados   Nanotubos   Corrosão dos materiais   Titânio

Resumo

Materiais nanoestruturados propiciam interações completamente novas entre superfícies dos implantes e as células, pois a área superficial é notavelmente aumentada além da topografia poder ser nanomodificada para assemelhar ao tecido ósseo nativo (BJURSTEN 2010). Nanoestruturas de TiO2 têm recebido muita atenção nos últimos anos devido a propriedades de foto-excitação e fortes propriedades catalíticas, além de outras potenciais aplicações técnicas como por exemplo em implantes ortopédicos e odontológicos (OH et al. 2005). Recentemente, verificou-se que tanto poros nanométricos como camadas tubulares de óxidos sobre ligas de Ti podem aumentar a bioatividade de um implante, e que a formação de nanotubos ordenados nestas ligas pode aumentar a osseointegração dos implantes (SAJI et al., 2009a-c). Verificou-se também, que nanotubos de TiO2 podem induzir a formação de estruturas "nano-estimuladas", isto é, nanofibras extremamente finas de titanato de sódio, que por sua vez, quando imersas em solução SBF induzem a formação e crescimento de fases de hidroxiapatita nanoestruturadas (OH et al. 2005).Nanotubos de TiO2 podem ser obtidos por várias técnicas tais como método sol-gel, deposição eletroforética e anodização eletroquímica. Para aplicações biomédicas, a adesão e integridade mecânica são muito importantes, sendo que o método de anodização é o que apresenta os melhores resultados, além de, sob condições otimizadas, ser um método eficiente e econômico para a obtenção de nanotubos ordenados em superfície de biomateriais (OH et al. 2005; SAJI et al., 2009a-c; Lin et al. 2013).As técnicas eletroquímicas são extensivamente usadas para investigações de mecanismos de processos de eletrodo e de corrosão, podendo ser utilizadas na determinação da velocidade de corrosão e estabilidade eletroquímica (Oliveira et. al. 2007 e 2009). As vantagens oferecidas pelos métodos eletroquímicos referem-se à possibilidade de serem aplicados em estudos in vitro em meios agressivos. Por isso, o objetivo do presente projeto de pesquisa será utilizar medidas de potencial de circuito aberto e polarização potenciodinâmica para caracterizar o comportamento eletroquímico e resistência à corrosão do titânio após a formação dos nanotubos em diferentes condições experimentais. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.