Busca avançada
Ano de início
Entree
Conteúdo relacionado

Genética da paisagem para proteger os serviços de polinização das abelhas

Processo: 13/23661-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2014
Vigência (Término): 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Vera Lucia Imperatriz-Fonseca
Beneficiário:Rodolfo Jaffé Ribbi
Supervisor no Exterior: Shalene Jha
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Texas at Austin (UT), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:12/13200-5 - Promovendo a meliponicultura para alcançar um desenvolvimento rural sustentável, BP.PD
Assunto(s):Polinização   Abelhas   Café   Mata Atlântica

Resumo

Como outros serviços ecossistêmicos, os serviços de polinização estão cada vez mais ameaçados pela perda e modificação dos habitats naturais, arriscando a manutenção da diversidade de plantas silvestres, a estabilidade ecossistêmica, a produção agrícola e a segurança alimentar. Pesquisa orientada a entender melhor a relação entre a degradação dos habitats naturais e a dinâmica populacional dos polinizadores, é portanto, essencial para salvaguardar os polinizadores e garantir os seus serviços de polinização. O objetivo principal deste projeto é utilizar novas ferramentas de genética da paisagem para avaliar o impacto da perda e fragmentação de habitats naturais sobre a dinâmica populacional de um polinizador nativo em plantios de café associados a fragmentos de Mata Atlântica. Especificamente, pretendemos : 1) Utilizar sequenciamento de nova geração para identificar um grande número de marcadores microssatélites informativos em um polinizador chave; 2) Gerar mapas de resistência de uso da terra para avaliar os custos de dispersão das abelhas em plantios de café associados a fragmentos de Mata Atlântica; 3) Avaliar o impacto relativo da perda e fragmentação de habitats, bem como a resistência da matriz sobre a diversidade genética e os padrões de fluxo gênico de um polinizador chave. Os resultados gerados aqui irão revelar os limites de degradação de habitats naturais, que possam permitir a persistência de populações de polinizadores, e assim, ajudar a identificar práticas sustentáveis de uso da terra, que maximizem a produção agrícola mantendo os serviços de polinização. O projeto é uma colaboração entre o Laboratório de Abelhas e o Laboratório de Ecologia da Paisagem e Conservação (LEPaC) da Universidade de São Paulo, e o Jha Lab da Universidade de Texas. As paisagens a serem estudadas já foram estabelecidas e as amostras de abelhas coletadas. Pretendo aproveitar os equipamentos de nova geração e o profundo conhecimento na área contidos no Jha Lab, para realizar as análises de genética da paisagem necessárias para completar o meu projeto com sucesso. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Transporte de colônias afeta a estrutura genética de abelhas sem ferrão 
Planta presente no Brasil é capaz de colonizar áreas desmatadas 
Abelha nativa brasileira é capaz de compensar o declínio de outros polinizadores 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.