Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de diferentes tipos de estresse agudo na atividade dos neurônios noradrenérgicos em ratas

Processo: 13/14199-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 30 de novembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Cristiane Mota Leite
Beneficiário:Isabelle Rodrigues dos Santos
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Gonadotrofinas   Neuroendocrinologia   Transtornos de estresse traumático agudo

Resumo

O ciclo reprodutivo de ratas é caracterizado pela ocorrência de picos pré-ovulatórios de gonadotrofinas induzidos pelos esteroides ovarianos. A noradrenalina é um dos principais neurotransmissores envolvidos na regulação do eixo hipotalâmico-pituitário-gonadal, sendo os neurônios noradrenérgicos importantes mediadores das ações dos esteroides ovarianos na gênese dos picos de gonadotrofinas. O eixo reprodutivo, bem como a atividade dos neurônios noradrenérgicos, pode ser modificado pelo estresse. Embora o estresse crônico resulte em inibição da secreção de gonadotrofinas, o efeito do estresse agudo sobre o eixo reprodutivo ainda é bastante controverso. Visto que os neurônios noradrenérgicos participam da resposta do organismo ao estresse, e esta resposta parece depender de condição hormonal pré-existente, da qualidade, intensidade e duração da exposição ao estresse, este trabalho tem por objetivo avaliar se a aplicação de diferentes tipos de estresse agudos, associados ou não, na manhã do proestro, é capaz de modificar a atividade dos neurônios noradrenérgicos do locus coeruleus (LC), A1 e A2, e se essa ativação dos núcleos noradrenérgicos ocorreria de forma diferenciada, dependendo do tipo de estresse aplicado. Ratas ciclando serão submetidas ou não às 10 h do proestro a: 1) duas sessões de 1 minuto cada de estresse por estimulação cervical; 2) 40 minutos de estresse por contenção ou por exposição ao gato; ou 3) todos os estresses associados (estimulação cervical, contenção e exposição ao gato) por 40 minutos. Os animais serão perfundidos às 11:30 h do proestro. Após a anestesia e imediatamente antes do início da perfusão, uma amostra de sangue será retirada do ventrículo para a dosagem de hormônio luteinizante (LH) por radioimunoensaio. Cortes seriados de 30 ¼m do LC, A1 e A2 serão obtidos em criostato e submetidos à dupla marcação imunohistoquímica para FRA e tirosina hidroxilase (TH).