Busca avançada
Ano de início
Entree

Estabelecimento de curva de normalidade dos parâmetros ósseos obtidos na tomografia computadorizada quantitativa periférica de alta resolução (HR-pQCT) com análise pelo método do elemento finito em mulheres saudáveis

Processo: 13/12239-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Rosa Maria Rodrigues Pereira
Beneficiário:Henrique Fuller
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Osteoporose   Densidade óssea   Tomografia computadorizada   Reumatologia

Resumo

A osteoporose e sua principal consequência, a fratura, é um problema mundial de saúde pública. As fraturas por fragilidade óssea ocorrem tipicamente no quadril, coluna e punho, embora possam atingir qualquer osso do esqueleto. A medição da densidade mineral óssea (DMO) desses locais por dupla absorção de raios-X (DXA) é atualmente o método mais aceitável para o diagnóstico. Porém, a DMO não é o único parâmetro preditor de risco de fratura de modo que uma considerável porcentagem de indivíduos fratura com valores de DMO não osteoporóticos. Além disso, DXA não faz distinção entre os compartimentos cortical e trabecular. A tomografia computadorizada periférica quantitativa de alta resolução (HR-pQCT) melhorou consideravelmente a avaliação das propriedades do osso ao permitir in vivo a avaliação adicional da microarquitetura trabecular e cortical e da densidade mineral óssea volumétrica podendo predizer melhor o risco de fraturas na OP. Além disso, a análise óssea pelo método do Elemento Finito (FE) permitiu complementar essa avaliação na medida em que prevê características funcionais do tecido a partir da HR-pQCT. Entretanto a análise e interpretação deste método depende de um padrão de normalidade, que ainda não existe para a população brasileira. O objetivo deste trabalho é estabelecer uma curva de normalidade dos parâmetros que a HR-pQCT e o FE avaliam em indivíduos saudáveis de diferentes faixas etárias, em uma amostra da população brasileira. Serão avaliados o rádio distal e tíbia distal de aproximadamente 400 indivíduos saudáveis do sexo feminino por HR-pQCT usando dados da microarquitetura óssea e do FE. (AU)