Busca avançada
Ano de início
Entree

Transformação do nitrogênio em lagoas terciárias rasas: identificação da amônia volatilizada a partir da superfície líquida

Processo: 13/24213-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 31 de agosto de 2014
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Saneamento Ambiental
Convênio/Acordo: SABESP
Pesquisador responsável:Adolpho José Melfi
Beneficiário:Karen Cristina Souza de Mello
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Empresa:Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ)
Vinculado ao auxílio:10/50750-8 - Emissões de gases e dinâmica do nitrogênio em lagoas de estabilização e solos irrigados com esgoto tratado: gestão sustentável dos recursos hídricos, AP.PITE
Assunto(s):Nitrogênio   Amônia   Nitrificação

Resumo

A presença de nitrogênio amoniacal em cursos d'água com pH elevado pode provocar a mortandade de peixes devido à sua toxicidade, mesmo que em reduzidas concentrações para uma grande maioria das espécies. As atividades antropogênicas aumentam os níveis de nitrogênio e de outros elementos nos recursos hídricos, o lançamento de esgoto não tratado ou parcialmente tratado pode ser apontado como um dos principais agentes causadores do processo poluição e de eutrofização dos cursos d'água. Grande parte dos efluentes das lagoas de estabilização apresentam concentrações de amônia acima de 20 mg/L, sendo necessário um tratamento complementar para se alcançar efluentes com valores menores que este. Para alguns autores as lagoas de estabilização não são ainda consideradas como alternativa técnica adequada para a remoção de nitrogênio, entretanto, estudos recentes que objetivaram avaliar o efeito da profundidade em lagoas terciárias mostram que o nitrogênio pode ser removido a níveis de concentração abaixo de 5mg/L com a utilização de lagoa terciária com profundidade de 0,5 m e 10 dias de tempo de detenção hidráulica. Existem discordâncias sobre quais são os processos mais efetivos na remoção dessa forma nitrogenada, a nitrificação, a volatilização ou a incorporação do nitrogênio pela biomassa. Argumenta-se que devido à baixa concentração de nitrito e nitrato encontrada nos efluentes das lagoas, a nitrificação nesse tipo de sistema tem uma contribuição insignificante para redução da concentração de amônia, sendo sugerido ser mais significativa a sua volatilização. Entretanto, em trabalhos encontrados na literatura, o processo de sedimentação do nitrogênio associado a biomassa, a nitrificação e a desnitrificação aparecem como sendo a principal via de remoção de nitrogênio em lagoas fotossintéticas. Dessa forma, quantificar a parcela volatilizada e sua relevância dentro do processo poderá assegurar o desenvolvimento de modelos de dimensionamento de lagoas, para a remoção do nitrogênio amoniacal, mais consistentes. (AU)