Busca avançada
Ano de início
Entree

Simbioses ectomicorrizicas em raízes profundas de eucaliptos: novas perspectivas na compreensão da ecologia de fungos micorrízicos

Processo: 13/23919-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2014
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Marisa de Cassia Piccolo
Beneficiário:George Rodrigues Lambais
Supervisor no Exterior: Jean-Paul Laclau
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa : Institute de Recherche pour le Développement (IRD), França  
Vinculado à bolsa:11/06412-3 - Produção e mortalidade de raízes finas em plantações de Eucalyptus grandis sob solos com diferentes texturas (Itatinga - SP), BP.DR
Assunto(s):Microbiologia do solo   Latossolos   DNA   Eucalipto   Fungos

Resumo

Inúmeras pesquisas de campo apontam que os fungos ectomicorrízicos contribuem em diversas funções do ecossistema, tais como o ciclo de carbono, a mobilização de nutrientes da matéria orgânica do solo e a dinâmica da água, e podem formar associações simbióticas com espécies de grande importância econômica, como o Eucalyptus e Pinus. No entanto, a ecologia destes fungos em florestas plantadas em regiões tropicais não é bem compreendida. O projeto tem por objetivo determinar se existe a presença de colonização ectomicorrízica em raízes profundas de Eucalyptus grandis, avaliando a influencia da profundidade do solo no percentual total de raízes colonizadas. O experimento está instalado em um Latossolo, localizado na Estação Experimental de Ciências Florestais de Itatinga (ESALQ/USP), utilizando uma plantação de E. grandis com 4 anos de idade. A amostragem do solo foi realizada em Maio/2013 através de escavação de uma trincheira até 8 m de profundidade, onde em cada profundidade foram coletadas as raízes com características de colonização. Foram coletadas 4 amostras para cada camada de solo, e em seguida selecionou-se 20 raízes de cada amostra para observação e identificação de ectomicorrizas através de um microscópio. Após a identificação será extraído o DNA total e um fragmento da região 18S rRNA ITS poderá ser amplificado por PCR. Dessa forma, as sequencias ITS serão comparadas com sequencias em bases de dados do NCBI's GenBank e UNITE para identificação de cada grupo taxonômico. As estruturas das comunidades de fungos ectomicorrízicos em diferentes profundidades serão comparadas e relacionadas com as condições ambientais sob as quais as plantas foram cultivadas. Assim, o presente projeto fornecerá novos conhecimentos sobre a ecologia dos fungos ectomicorrízicos e a sua importância em plantações de eucaliptos. (AU)