Busca avançada
Ano de início
Entree

Treinamento técnico para cultivo e manutenção de células primárias e hibridomas

Processo: 13/25308-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 31 de maio de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Lúcia Helena Faccioli
Beneficiário:Priscilla Aparecida Tartari Pereira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/07169-5 - Mediadores lipídicos como reguladores da resposta imune, AP.TEM
Assunto(s):Hibridomas   Macrófagos

Resumo

Leucotrienos (LTs) e prostaglandinas (PGs) regulam a resposta imune nas infecções e outras patologias. Nos últimos anos temos contribuído para o entendimento do papel dos LTs e PGs nas infecções e em processos vacinais. Demonstramos que LTs são essenciais para os mecanismos de defesa na histoplasmose, na tuberculose, na estrongiloidíase, que atuam como adjuvantes e recrutam células efetoras. No entanto, na tripanossomíase e na candidíase estes mediadores favorecem as infecções. Em relação às PGs, demonstramos que estas contribuem para a patogênese na histoplasmose e na estrongiloidíase. Sabendo que LTs e PGs são instáveis, desenvolvemos metodologia de encapsulação em polímeros biocompatíveis, e mostramos que este processo preserva suas atividades biológicas, e assim representam uma nova estratégia de intervenção terapêutica. Neste temático, formado por 09 subprojetos, iremos dar continuidades aos estudos sobre LTs e PGs na regulação da resposta imune inata ou induzida, e o uso destes mediadores em terapias. Neste contexto, nossos objetivos são (a) investigar o papel dos LTs e PGs nos mecanismos efetores de macrófagos infectados com Cronobacter sakazakii; (b) determinar a relação entre mediadores lipidicos e (b1) infectividade/patogenicidade de cepas de Mycobacterium tuberculosis isoladas de pacientes com diferentes formas clínicas da doença, (b2) susceptibilidade e resistência na infecção por Histoplasma capsulatum, (b3) diferentes métodos de vacinação ("prime-booster", transfecção gênica por eletroporação ou biobalística); (c) desenvolver formulações contendo mediadores lipídicos ou seus inibidores em associação ou não com antígenos como estratégias vacinais ou terapêuticas. Nossos estudos deverão ampliar o entendimento dos mecanismos efetores da resposta imune que são regulados por LTs e PGs, contribuir para desenvolvimento de novas estratégicas terapêuticas, formar recursos humanos em áreas multidisciplinares e o estabelecer novas metodologias na Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto.