Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da lâmina de irrigação e momento de aplicação da uréia na produção de Cynodon spp. cv. Tifton 85

Processo: 13/25233-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2014
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Engenharia Agrícola - Engenharia de Água e Solo
Pesquisador responsável:Patricia Angélica Alves Marques
Beneficiário:Brenda Cristina Pinheiro da Silva
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Pastagens   Consumo de água   Manejo da irrigação

Resumo

A irrigação promove melhorias na exploração do potencial produtivo das pastagens no Brasil, porém, não é manejada de maneira adequada, seja por despreparo do agricultor ou falta de índices indicativos do melhor manejo de irrigação. O nitrogênio, um dos nutrientes absorvidos em maiores quantidades pelas forrageiras e importante, em termos de quantidade, para maximizar a produção de matéria seca das gramíneas forrageiras. Este trabalho tem por objetivo estudar o efeito de níveis de irrigação no desempenho produtivo de Cynodon spp. cv. Tifton-85 em diferentes momentos de aplicação de ureia. A pesquisa será conduzida em ambiente protegido localizado em área experimental do Departamento de Engenharia de Biossistemas da ESALQ/USP sob o delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x6, com dois níveis de irrigação (plena 100% ETo e com déficit 70% ETo) e seis momentos de aplicação da ureia (no dia; 3; 6; 9; 12 dias após o corte e um controle sem aplicação de ureia) com quatro repetições. Os tratamentos serão aplicados a partir do corte de nivelamento. As amostragens para avaliação destrutiva serão feitas a cada 21 dias, a partir do corte de nivelamento. Será determinada a produção de matéria seca da lâmina foliar (MSLF), de colmos + bainhas (MSCB) e da parte aérea (MSPA). As amostragens para avaliação não destrutiva serão feitas a cada sete dias para acompanhar o desenvolvimento da planta. Os resultados serão submetidos à análise de variância para verificação de diferenças significativas entre tratamentos. Em caso positivo, as médias serão comparadas pelo teste de Tukey (p<0,01 e p<0,05).