Busca avançada
Ano de início
Entree

Reconstituição das propriedades hidrográficas da superfície do mar, na margem equatorial brasileira durante o holoceno

Processo: 13/26951-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 15 de março de 2014
Vigência (Término): 14 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Geológica
Pesquisador responsável:Silvia Helena de Mello e Sousa
Beneficiário:Nancy Kazumi Taniguchi
Supervisor no Exterior: Stefan Mulitza
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Bremen, Alemanha  
Vinculado à bolsa:13/10676-1 - Reconstituição da temperatura de superfície do mar e salinidade na região equatorial brasileira no Holoceno tardio: inferências paleoclimáticas, BP.MS
Assunto(s):Paleoceanografia   Holoceno   Salinidade do mar   Oceano Atlântico

Resumo

Reconstrução de variáveis ambientais, como temperatura e salinidade dos oceanos é importante para a compreensão da variabilidade natural do clima global. O presente projeto tem como propósito a reconstituição a temperatura e salinidade da superfície do mar da margem equatorial continental brasileira durante o Holoceno, a partir de dados de razão Mg/Ca e isótopo de oxigênio (´18O) obtidas em testas de foraminíferos planctônicos. Para isto, estamos trabalhando com um registro sedimentar marinho (GeoB - 16204-2) coletado na região offshore próximo ao rio Parnaíba (latitude 01°59,75' S, longitude 42°20.30' W, 1210 m de profundidade). A cronologia do GeoB-16204-2 foi estabelecido com base em datações de radiocarbono usando AMS 14C em testas de Globigerinoides ruber. Além disso, dados de granulometria e fluorescência de raio-X (FRX) estão disponíveis. Espécimes de Globigerinoides ruber white serão separados para as análises de Mg/Ca e d18O na Universidade de Bremen. Para aprender esta técnica é necessário um período de três meses de treinamento, que será realizado em colaboração com pesquisadores do Departamento de Geociências da Universidade de Bremen. Após este período, poderemos estimar temperatura e salinidade da superfície do mar e descrever possíveis mudanças das condições hidrográficas. Os resultados serão analisados através de representações gráficas e métodos estatísticos poderão ser utilizados para investigar as possíveis relações entre as variações de superfície do mar e aporte continental. (AU)