Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um teste preditivo para medicação bem sucedida e compreensão das bases moleculares da esquizofrenia através da proteômica

Processo: 13/25702-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2014
Vigência (Término): 06 de maio de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Daniel Martins-de-Souza
Beneficiário:Daniel Martins-de-Souza
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08711-3 - Desenvolvimento de um teste preditivo para medicação bem sucedida e compreensão das bases moleculares da esquizofrenia através da proteômica, AP.JP
Assunto(s):Biomarcadores   Esquizofrenia   Proteômica

Resumo

A esquizofrenia é um distúrbio mental debilitante incurável que afeta aproximadamente 1% da população mundial. É uma doença multifatorial que envolve fatores exógenos e endógenos desde o neurodesenvolvimento. Parte dos aspectos moleculares da esquizofrenia ainda está por ser descoberta e os aspectos que se conhece precisam ser mais bem conectados para compreensão integrada de sua fisiopatologia. Ainda, biomarcadores para a predição de um tratamento bem sucedido são inexistentes apesar de necessários, visto a ineficácia do tratamento para uma parcela considerável dos pacientes. A proteômica é, por definição, uma ferramenta adequada para estudos de doenças multifatoriais como a esquizofrenia, visto sua capacidade de investigar aspectos biológicos de maneira integrada bem como revelar potenciais biomarcadores. O presente projeto pretende analisar pela primeira vez os proteomas do plasma sanguíneo coletados in vivo de pacientes antes e depois de seis semanas de tratamento com antipsicóticos bem como controles. Nossos objetivos são revelar vias bioquímicas envolvidas na resposta à medicação e principalmente potenciais biomarcadores, até agora inexistentes, que possam indicar uma resposta bem sucedida de acordo com a eficácia da medicação observada na clínica. Tais potenciais biomarcadores serão combinados num ensaio bioquímico baseado em espectrometria de massas a ser avaliado como o primeiro teste clínico já desenvolvido para prever o sucesso da resposta à medicação. Além disso, pretendemos contribuir na compreensão dos aspectos moleculares da esquizofrenia. Baseados em nossos resultados prévios, investigaremos sub-proteomas de substância cinzenta e branca separadamente de quatro regiões cerebrais diferentes provindas de pacientes com esquizofrenia e controles bem como modelos pré-clinicos como culturas de oligodendrócitos. O objetivo é revelar proteínas diferencialmente expressas e as vias bioquímicas nas quais estão envolvidas, averiguando seu papel no estabelecimento e manutenção deste distúrbio. Este estudo aumentará a compreensão das bases moleculares da esquizofrenia e ajudará no desenvolvimento de uma estratégia de medicina personalizada com potencial de implementação clínica.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.