Busca avançada
Ano de início
Entree

Mapeamento estrutural de epitopos-chave para neutralização e aumento da infectividade mediada por anticorpos presentes no envelope do vírus da dengue

Processo: 14/00684-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2014
Vigência (Término): 31 de agosto de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luis Carlos de Souza Ferreira
Beneficiário:Jaime Henrique Amorim Santos
Supervisor no Exterior: Richard J. Kuhn
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Purdue University, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:12/51204-2 - Um novo caminho para a busca racional de uma vacina efetiva contra a dengue, BP.PD
Assunto(s):Epitopos   Vírus da dengue   Neutralização   Virologia

Resumo

Os resultados da primeira fase da nossa pesquisa mostram que camundongos imunizados com o domínio III da glicoproteína de envelope e desafiados com uma dose letal de vírus da dengue (o mesmo serotipo que diz respeito à proteína), em contraste com o que se esperava , morreram antes que os animais não imunizados (cinco experimentos) . Os animais imunizados com o domínio III desenvolveram cargas virais mais elevadas e sinais patológicos de forma mais rápida do que os animais não imunizados . Além disso , observou-se que os anticorpos anti- domínio III , incluindo aqueles purificados a partir de soro obtido de animais imunizados com a partículas virais inactivadas (aqueles protegidos do desafio) aumentaram a infectividade viral em células de mamífero , que expressam receptores de Fc - ³ . Observou-se também que as frações do mesmo soro protetor, que são específicos para os domínios I e / ou II , não permitiram a multiplicação dos vírus nestas células . Atualmente, estamos verificando se esses fenômenos observados em camundongos serão reproduzidos com soros humanos. Nossos primeiros resultados mostram que os anticorpos humanos anti-domínio III purificados direcionam o vírus da dengue para células portadoras de receptores Fc -gama e aumentam a infectividade do vírus da dengue sobre essas células. Na próxima fase da pesquisa pretendemos estudar mais profundamente os epítopos estruturais que são alvo para neutralização ou aumento da infecção mediados por anticorpos. Essas interações serão determinadas por microscopia crio-eletrônica em um trabalho de colaboração com o Dr. Kuhn , da Universidade de Purdue , nos EUA. O conhecimento a ser divulgado após a realização desta pesquisa irá melhorar significativamente a compreensão da imunopatogênese do vírus da dengue e podem contribuir para o desenvolvimento racional de vacinas anti- dengue realmente eficazes. (AU)