Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de bioaerossóis de origem fúngica na Cidade de São Paulo

Processo: 13/23274-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2014
Vigência (Término): 31 de março de 2016
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Pesquisador responsável:Maria de Fátima Andrade
Beneficiário:Ana Paula Mendes Emygdio
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/58104-8 - Narrowing the uncertainties on aerosol and climate changes in São Paulo State: NUANCES-SPS, AP.PFPMCG.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):15/13650-9 - Biomarcadores como indicadores da biomassa de fungo na atmosfera de São Paulo, Brasil, BE.EP.MS
Assunto(s):Fungos   Material particulado

Resumo

Atualmente há poucos estudos relacionados com a caracterização dos componentes biológicos presentes no material particulado, sendo que estes podem assumir uma relação direta com a deflagração de doenças respiratórias e também podem estar vinculados com alterações dos processos climáticos. Fungos anemófilos são aqueles que apresentam seus conídios ou esporos transportados pelo ar, sendo os principais os basidiomicetos, ascomicetos, deuteromicetos e zigomicetos. Além de estarem relacionados dentro do âmbito epidemiológico, os bioaerossóis podem também atuar nos processos climáticos, como no caso do desenvolvimento de núcleos de gelo (ice nuclei). Entretanto poucos trabalhos foram realizados envolvendo a caracterização de bioaerossóis na atmosfera de São Paulo necessitando assim de um maior aprofundamento no assunto. Dentre os diversos métodos que existem para quantificar a biomassa total de fungos presentes na atmosfera não há uma metodologia ideal para todas as situações. O objetivo desse trabalho é caracterizar os tipos fúngicos da atmosfera da região metropolitana de São Paulo, com medidas realizadas em dois sítios: na Cidade Universitária e no Pico do Jaraguá. O objetivo é realizar um balanço com a massa de material particulado medido: através da correlação do número de bioaerossóis com massa e composição do material particulado, avaliando as condições meteorológicas e realizando uma análise de trajetória de massas de ar entre os locais de coleta. Para a coleta do material será utilizado o equipamento Recording Burkard (Burkard Manufacturing Co., Ltd., Rickmansworth, United Kingdom) operando a 10 L/min, as amostras serão coletadas por períodos de 24h diários e as contagens realizadas de acordo com Rogers et a.l, 2001. Os resultados obtidos ajudarão na caracterização de fungos anemófilos da atmosfera de São Paulo, permitindo assim averiguar sua variação sazonal e de área, além de possibilitar a identificação de espécies não possíveis em meios de cultura.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MENDES EMYGDIO, ANA PAULA; DEGOBBI, CRISTIANE; TEIXEIRA GONCALVES, FABIO LUIZ; ANDRADE, MARIA DE FATIMA. One year of temporal characterization of fungal spore concentration in Sao Paulo metropolitan area, Brazil. JOURNAL OF AEROSOL SCIENCE, v. 115, p. 121-132, JAN 2018. Citações Web of Science: 1.
MENDES EMYGDIO, ANA PAULA; ANDRADE, MARIA DE FAIMA; TEIXEIRA GONCALVES, FABIO LUIZ; ENGLING, GUENTER; DE SOUZA ZANETTI, RAFAEL HENRIQUE; KUMAR, PRASHANT. Biomarkers as indicators of fungal biomass in the atmosphere of Sao Paulo, Brazil. Science of The Total Environment, v. 612, p. 809-821, JAN 15 2017. Citações Web of Science: 2.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
ANA PAULA MENDES EMYGDIO. Identificação de bioaerossóis de origem fúngica na cidade de SãoPaulo. 2016. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Escola de Artes, Ciências e Humanidades São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.