Busca avançada
Ano de início
Entree

É uma falha na resolução da inflamação no tecido adiposo de pacientes caquéticos?

Processo: 13/25207-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Pesquisador responsável:Marilia Cerqueira Leite Seelaender
Beneficiário:Katrin Radloff
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/50079-0 - Inflamação sistêmica em pacientes com caquexia associada ao câncer: mecanismos e estratégias terapêuticas, uma abordagem em medicina translacional, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):16/09988-7 - Efeito dos ácidos graxos sobre a atividade inflamatória de macrófagos na caquexia associada ao câncer: consequências sobre as funções celulares, BE.EP.DD
Assunto(s):Inflamação   Mediadores da inflamação   Lipoxinas   Tecido adiposo   Caquexia

Resumo

Caquexia associada ao câncer é caracterizada por uma perda progressiva do tecido muscular e frequentemente de tecido adiposo também. Além disso, a Caquexia é não só acompanhada, mas também deve ser parcialmente causada pela inflamação sistêmica que leva a um baixo desempenho de pacientes com câncer e um aumento da mortalidade. Citocinas pró- inflamatórias elevadas, tais como TNF- ±, IL -6, IL- 1² ou IFN- ³, são característicos para a inflamação sistémica e estão envolvidos nas alterações metabólicas, diminuição da ingestão de alimentos e a degradação do tecido. Durante Caquexia o tecido adiposo libera mais ácidos graxos, moléculas precursoras potente para a produção de compostos bioativos de lípidos tais prostaglandinas e resolvinas ou lipoxinas. Resolvinas e lipoxinas já são mostrados por resolver inflamações em outras doenças tais como a peritonite. O tecido adiposo em si contribui para a inflamação sistémica e, a Caquexia para o aumento da imigração de macrófagos e de libertação dos marcadores de inflamação. Há uma hipótese de que uma melhoria dos processos inflamatórios no tecido adiposo pode resultar numa diminuição sistémica de citoquinas pró- inflamatórias e um melhoramento da Caquexia no câncer. Assim, pretende-se resolver a inflamação do tecido adiposo por tratamento com resolvinas e outros mediadores lipídicos. Portanto, vamos avaliar os padrões de distribuição de mediadores lipídicos no tecido adiposo de pacientes caquéticos e não-caquéticos. Além disso, tentaremos induzir a resolução da inflamação através da incubação de explantes de tecido adiposo com compostos pró resolução em uma abordagem ex-vivo. (AU)