Busca avançada
Ano de início
Entree

Sinalização da Inflamação e Proliferação Celular do Epitélio da Córnea

Processo: 13/18350-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2014
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Eduardo Melani Rocha
Beneficiário:Lara Cristina Dias
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Cultura de células   Mediadores da inflamação   Oftalmologia   Células epiteliais

Resumo

Doenças da córnea estão entre as principais causas de cegueira e os mecanismos de lesão e reparação estão em grande parte concentradas no epitélio, porém os mediadores-alvo para possíveis intervenções terapêuticas são desconhecidas. No epitélio da córnea, a cicatrização é prejudicada pela ativação do receptor de potencial transitório vanilóide 1 (TRPV1). Na comparação entre a cicatrização de córnea em camundongo sem esse receptor (TRPV1-/-) e controle, os TRPV1-/- tem o resultado de cicatrização muito melhor. Isso indica que nas lesões do epitélio da córnea a formação de metabólitos endógenos, ativam os canais TRPV1, contribuindo para a inflamação exagerada que atrasa ou impede o fechamento da ferida e prejudica a restauração da transparência da córnea. Nossa hipótese geral é que o TRPV1, module a liberação de mediadores inflamatórios, interagindo com receptor canabinóide (CB1) e o receptor do fator de necrose tumoral-alfa (TNF±R) através da ativação do transforming growth factor activated kinase 1 (TAK1) e a interação entre essas vias promova o equilíbrio na resposta inflamatória frente a uma agressão ao epitélio da córnea. Para avaliar isso, o nosso objetivo é identificar os mecanismos de sinalização envolvidos na resposta inflamatória e proliferativa em células epiteliais da córnea. Técnicas de cultivo de células epiteliais de córnea, dosagens de citocinas por ELISA após estímulo inflamatório, e "Western blot" para identificação e comparação da expressão dos receptores TRPV1, TNF±R, CB1 e ativação (fosforilação) de TAK1 sob o estimulo de agonistas ou antagonistas dos respectivos receptores. Os resultados permitirão identificar as vias de sinalização envolvidas, a interação entre elas e assim propor estratégias de modulação com potencial terapêutico dessas vias em situações patológicas como defeito epitelial persistente, inflamação excessiva ou processos auto-imunes.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
DIAS, Lara Cristina. Identificação e ações do receptor vanilóide de potencial transitório 1 (TRPV-1) na superfície ocular e glândula lacrimal. 2015. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.