Busca avançada
Ano de início
Entree

Marcadores moleculares imunoistoquímicos nos carcinomas de ovário dos tipos I e II e sua correlação com a sobrevida

Processo: 13/24900-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2014
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Sophie Françoise Mauricette Derchain
Beneficiário:Ariane Guissi dos Santos
Instituição-sede: Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM). Hospital da Mulher Professor Doutor José Aristodemo Pinotti. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Tocoginecologia   Neoplasias ovarianas   Imuno-histoquímica   Sobrevida   Marcador molecular

Resumo

Este estudo faz parte de uma linha de pesquisa que avalia marcadores imunoistoquímicos em carcinomas e tumores borderline de ovário. Embora o câncer ovariano não seja o mais prevalente, representa a principal causa de morte entre os tumores ginecológicos. Os tumores epiteliais malignos representam aproximadamente noventa por cento dos tumores ovarianos. Cada subtipo histológico está associado a uma multiplicidade de fatores genéticos e eventos moleculares particulares durante a oncogênese. Apesar de uma heterogeneidade histológica, na maioria das vezes, estes tumores são tratados de forma similar, levando a diferentes respostas ao tratamento e prognóstico. O avanço do conhecimento na carcinogênese dos tumores ovarianos, propõe um novo modelo que considera dois grandes grupos de tumores epiteliais malignos: os carcinomas do tipo I que incluem os carcinomas serosos de baixo grau, carcinomas mucinosos primários de ovário, carcinomas endometroides e carcinomas de células claras, geralmente diagnosticados restritos ao ovário e de comportamento indolente; e os carcinomas do tipo II compostos por carcinomas serosos de alto grau e carcinomas indiferenciados, geralmente com alta expressão da P53, são agressivos e geralmente detectados em estádios avançados. A avaliação das alterações genéticas pode ser feita indiretamente através de métodos imunoistoquímicos que identificam marcadores de prognóstico e auxiliam no diagnóstico. O objetivo deste estudo específico será avaliar a expressão dos marcadores moleculares imunoistoquímicos da p53, Ki67, WT1, ² catenina e BRCA1/2 nos tipos I e II dos tumores epiteliais invasivos primários de ovário, segundo o estádio e sua associação com tempo livre de doença e sobrevida. Sujeitos e métodos: Este é um estudo observacional de coorte retrospectiva. Serão incluídos os blocos de parafina de 250 mulheres com tumores epiteliais malignos primários de ovário, selecionados através dos prontuários no período de 1993 a 2013 no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher da Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, Brasil, que não tenham sido submetidas à quimioterapia e/ou radioterapia neoadjuvantes. A avaliação da expressão dos marcadores será realizada por imunoistoquímica após construção de microarranjo dos tecidos (TMA) comparando estes resultados segundo o tipo I e tipo II, estádio da doença e sua associação com tempo livre de doença e sobrevida. O cálculo do tamanho da amostra foi estimado a partir da diferença na sobrevida global de pacientes com carcinoma de ovário, considerando-se o marcador Ki67 como fator de prognóstico, classificado como expresso em menor do que 10% e maior do que 10%. A partir destas informações e adotando-se um nível alfa de 5% de significância estatística e poder do teste de 90%(30), o tamanho amostral estimado é de 250 pacientes.