Busca avançada
Ano de início
Entree

Regulação recíproca da atividade neuronal por S-nitrosilação e s-palmitoilação

Processo: 14/02135-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2014
Vigência (Término): 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Leonardo Resstel Barbosa Moraes
Beneficiário:Alessandra das Graças Fedoce
Supervisor no Exterior: Haralambos (Harry) Ischiropoulos
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Children's Hospital of Philadelphia (CHOP), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:11/20762-7 - Avaliação da participação do estresse oxidativo/nitrosativo induzidos pelo estresse de restrição na modulação da resposta emocional condicionada, BP.DR
Assunto(s):Estresse oxidativo   Óxido nítrico

Resumo

As espécies reativas de oxigênio (EROS) e as espécies reativas de nitrogênio (ERNs) são produzidas durante o metabolismo normal das células e dependendo da sua concentração podem ser benéficas, exercendo funções biológicas importantes como a sinalização e a proliferação celular, porém, um desequilíbrio na homeostasia pro-oxidante /antioxidante é responsável por gerar o estresse oxidativo/nitrosativo (EON). Neste caso, a resposta celular pode ser modificada, incluindo o aumento da proliferação, a senescência e a morte celular (apoptose). A análise proteómica é uma importante técnica que permite a identificação de todas as proteínas presentes em uma célula, e também o seu mapeamento tridimensional, dessa maneira é possível traçar a localização exata de uma proteína em um determinado momento, isto a torna uma ferramenta útil, uma vez que a expressão gênica pode sofrer a influência de vários estímulos ambientais que podem induzir o EON responsável por provocar danos em proteínas e lipídios de membranas. Estes danos podem ocasionar o aparecimento de várias doenças, entre elas, os transtornos psiquiátricos (a depressão e a ansiedade). Diversos marcadores são utilizados para identificar a formação de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio (ERON), porém, o estudo dos mecanismos moleculares de modificações em proteínas pós- tradução em doenças psiquiátricas ainda é pouco elucidado, dentre estas proteínas podemos citar: S- palmitoilação e a S -nitrosilação, que são modificações químicas das cadeias proteicas após a tradução, atuam em processos de sinalização celular através da modulação da atividades de enzimas, os ERONs podem impedir tais modificações por mecanismos ainda pouco elucidados e, consequentemente, comprometer os mecanismos de sinalização celular promovendo alterações funcionais responsáveis por o surgimento de várias patologias. Dessa forma, a identificação proteómica de uma célula pode ser uma estratégia útil para a compreensão de mecanismos moleculares envolvidos no desenvolvimento e progressão de desordens de ansiedade, bem como de outras doenças psiquiátricas. (AU)