Busca avançada
Ano de início
Entree

Indução a desova, qualidade do ovo e larvicultura de meagre (Argyrosomus regius, Asso, 1801) (Teleostei: Perciformes)

Processo: 14/03834-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2014
Vigência (Término): 30 de novembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Renata Guimarães Moreira Whitton
Beneficiário:Paulo Henrique de Mello
Supervisor no Exterior: Constantinos C. Mylonas
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Hellenic Centre for Marine Research (HCMR), Grécia  
Vinculado à bolsa:11/12301-0 - Investigações metabólicas durante o processo ontogenético das larvas da garoupa verdadeira (Epinephelus marginatus) (Teleostei: Serranidae), BP.DR

Resumo

A reprodução é um dos processos, se não o principal, responsável pela manutenção de uma espécie. No entanto, peixes marinhos, quando mantidos em cativeiro, apresentam alguns problemas na reprodução e principalmente as fêmeas, apresentam algumas disfunções reprodutivas, tais como, falhas em completar o processo de vitelogênese, falha na maturação final dos oócitos (FMF) e/ou ovulação. Assim, os estudos sobre terapias de indução a maturação dos oócitos, utilizando hormônios exógenos para estimular esses processos, se tornaram uma importante ferramenta para promover a maturação e sincronizar a ovulação dos reprodutores. Esse problema ocorre com a garoupa verdadeira, Epinephelus marginatus estudado em nosso projeto, uma vez que as fêmeas não conseguem finalizar a vitelogênese, falham na maturação final dos oócitos e, portanto, não desovam. Na verdade, a falha da garoupa verdadeira em finalizar o processo de vitelogênese em cativeiro é um dos principais impedimentos do presente projeto de doutorado. Outra espécie com este mesmo problema que apresenta um grande potencial para a produção aquícola na região do Mediterrâneo é o "meagre" ( Argyrosomus regius), que, com poucas exceções, as fêmeas não apresentam maturação dos oócitos em cativeiro e hormônios exógenos precisam ser usados para induzir a ovulação e desova. Então, essa espécie será utilizada como modelo para as investigações de terapia hormonal, avaliação da qualidade dos ovos e sucesso das larvas no HCMR (Hellenic Centre for Marine Research). Além disso, a sobrexplotação dos recursos marinhos é o principal problema desses sistemas em todo o mundo. Assim, a aquicultura aparece como uma solução direta para a conservação das populações de peixes marinhos, embora algumas áreas da aquicultura ainda sejam incipientes no Brasil. Aspectos reprodutivos, tais como, a indução da desova, a qualidade dos ovos e a larvicultura são imprescindíveis para o desenvolvimento da aquicultura. Assim, para o desenvolvimento da sustentabilidade da aquicultura precisamos de reprodutores domesticados que possam fornecer larvas durante todo o ano, o que poderia suprir a produção aquícola e ajudar a frear sobreexpotação dos recursos marinhos. Estudos enfocando a indução hormonal, especialmente com doses (injeções) de GnRHa, indução de desova, qualidade dos ovos e larvicultura são essenciais para desenvolver o potencial aquícola. O desenvolvimento deste projeto no exterior é imperativo, considerando que os projetos de pesquisa que se concentram na solução desses problemas reprodutivos são escassos, e com estes estudos, esperamos entender melhor esses processos e aplicar esse conhecimento visando solucionar os problemas com espécies nativas. Neste sentido, estudos relacionados a entender esses problemas e os processos envolvidos são imprescindíveis para alavancar a aquicultura marinha, área com enorme prospecção econômica no Brasil. Assim, estudos que visam melhorar o nosso conhecimento sobre aspectos reprodutivos, para desenvolver a sustentabilidade da aquicultura marinha, são um campo de pesquisa essencial para o desenvolvimento de ferramentas fisiológicas importantes para serem aplicados na aquicultura brasileira. Finalmente, o HCMR é considerado um centro de pesquisa de referência na área de aquicultura, por isso é uma honra e um privilégio ter uma resposta positiva do Prof. Dr. Constantinos C. Mylonas e te sido aceito para este período em seu laboratório. (AU)