Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da vascularização de retalhos cutâneos pediculados em cães por meio de câmera termográfica

Processo: 13/21044-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2014
Vigência (Término): 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Julia Maria Matera
Beneficiário:Samanta Rios Melo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Termografia   Cirurgia veterinária

Resumo

Na Medicina Veterinária a termografia é amplamente pesquisada e documentada em estudos ortopédicos. Não foram encontrados dados em literatura atual para uso da termografia como método complementar no diagnóstico e/ou prognóstico no mastocitoma canino, ou mesmo de evolução de flaps cutâneos em cães.A utilização da termografia no campo da oncologia médica reside no fato de que os tumores geralmente têm um aumento no fornecimento de sangue e na angiogênese, assim como uma taxa metabólica aumentada, o que, por sua vez, traduz-se em maiores gradientes de temperatura em relação ao tecido normal circundante. Detectar estes "hotspots" e seus gradientes pode, assim, ajudar a identificar e diagnosticar malignidade tumoral. Ainda, acredita-se que o processo de carcinogênese associada a neoangiogênese resulta em aumento da temperatura ao redor da área da formação neoplásica.No uso de técnicas de anaplastia, um adequado planejamento pré-operatório, técnica cirúrgica meticulosa, e um profundo conhecimento da anatomia vascular são cruciais para o resultado pós-operatório bem sucedido. Perdas parciais e totais do retalho, devido à perfusão inadequada são complicações que podem ocorrer quando se usa esta técnica, especialmente pelo cirurgião inexperiente. O conhecimento da anatomia vascular precisa antes do delineamento do retalho pode ajudar a melhorar a segurança e eficácia do procedimento cirúrgico. Estudos em humanos têm mostrado que existe uma boa correlação entre a perfusão vascular e a temperatura da pele. A mensuração da temperatura cutânea pode, portanto, fornecer informações indiretas sobre a perfusão tecidual. Em procedimentos cirúrgicos que envolvem flaps locais e enxertos cutâneos livres, a perfusão e reperfusão do retalho são cruciais para o sucesso da terapia. É, portanto, surpreendente que a utilização de IR termografia em cirurgia seja tão pouco relatada na literatura. A avaliação da evolução de flaps e mensuração da aderência e neovascularização do tecido no local intencionado é extremamente importante para diagnóstico precoce de falhas na implantação do tecido. Estudos designaram várias técnicas de avaliação de flaps e enxertos de pele em humanos, como a avaliação clínica e visual, e recentemente métodos de imagem como a termografia.A maioria dos cirurgiões conta com a observação clínica da perfusão da pele usando sinais subjetivos, tais como cor da pele, enchimento capilar, temperatura da pele, e turgidez tecidual. A mensuração da temperatura de retalhos de pele durante a fase de pós-operatório é um dos mais antigos métodos de monitoramento de flaps e retalhos livres e é muitas vezes incluída nos protocolos de acompanhamento pós-operatório de retalhos.O projeto, que é uma continuidade do trabalho desenvolvido com termografia pela aluna durante o Mestrado, constitui na avaliação da evolução de flaps cutâneos pediculados após a excisão de mastocitomas caninos. Tem como objetivo principal: Avaliar a evolução trans e pós-operatória de retalhos cutâneos em cães que sofreram excisão de mastocitoma por meio da obtenção e análise de imagens infravermelhas.Assim sendo, a proposta de trabalho inclui: Determinar as características clínicas do paciente e de cada tumor; Determinar o estadiamento clínico de cada paciente; Determinar o grau histopatológico (método de Patnaik e método de Kiupell) dos tumores apresentados; Capturar e analisar imagens infravermelhas dos mastocitomas por meio de câmera termográfica; Capturar e analisar imagens infravermelhas da evolução pós operatória dos flaps e retalhos realizados para fechamento de defeitos após excisão ampla de mastocitomas em cães; Avaliar o uso da termografia no diagnóstico e prognóstico de mastocitomas caninos .

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MELO, Samanta Rios. Estudo crítico de mastocitomas caninos e avaliação termográfica de técnicas de anaplastia. 2017. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.