Busca avançada
Ano de início
Entree

O uso da fotoelasticidade para avaliar a distribuição das tensões com diferentes conexões de implantes com próteses unidas.

Processo: 13/25617-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Marcelo Coelho Goiato
Beneficiário:Guilherme Sarauza Arsufi
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Prótese dentária   Biomecânica   Implantes dentários

Resumo

A evolução da implantodontia e seu uso constante em tratamentos reabilitadores vêm aumentando a cada dia, e suas inovações tornam cada vez mais importante um correto planejamento com finalidade de garantir a satisfação por parte dos pacientes. Com o avanço do conhecimento nessa área, muitas inovações foram conquistadas, garantindo uma grande variedade de implantes e de seus sistemas de conexão com o dispositivo protético. Entretanto, mesmo com esses avanços, grande parte dos sistemas preconizados anteriormente continua presente, garantindo sucesso no tratamento. Tendo isso em mente, a necessidade de substituição de implantes antigos em casos onde se tornou necessário uma nova reabilitação, substituindo elementos adjacentes a áreas já reabilitadas contendo diferentes implantes torna-se questionável. Deste modo, existe uma carência de informações sólidas a respeito do comportamento biomecânico de uma prótese implanto-suportada, associada a diferentes implantes com sistemas de conexões diversos. Para esclarecer essas dúvidas, o presente estudo terá como objetivo avaliar o comportamento biomecânico de próteses associadas a implantes com diferentes tipos de conexões. Serão confeccionados dez modelos de resina fotoelástica PL-2, com implantes de 13 x 4 mm (Osteofit), estando entre eles implantes com as seguintes conexões: hexágono externo, hexágono interno, flexcone e cone morse. Serão confeccionadas as próteses dos respectivos grupos e aplicadas cargas de 100 N, em direção axial e oblíqua (45°), em pontos fixos da superfície oclusal das coroas com ajuda de uma máquina de ensaio universal (EMIC). As tensões geradas serão registradas fotograficamente e analisadas em programa gráfico (Adobe Photoshop). Os registros fotográficos das amostras serão analisados para verificar a direção de propagação e intensidade das tensões, conforme a análise qualitativa. Para facilitar, a análise será dividida da seguinte maneira: de acordo com o número de franjas de alta intensidade (transição verde-rosa) e de acordo com a área de distribuição das tensões.