Busca avançada
Ano de início
Entree

Padrões gerais de organização da comunidade edáfico-epígea e avaliação do seu potencial indicador na prevenção dos eventos catastróficos em ecossistemas mediterrâneos sujeitos à desertificação

Processo: 14/00631-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 11 de junho de 2014
Vigência (Término): 10 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Alexandre Souto Martinez
Beneficiário:Fernando Meloni
Supervisor no Exterior: V. Ramón Vallejo Calzada
Supervisor no Exterior: Susana Bautista
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Fundación Centro de Estudios Ambientales del Mediterráneo (CEAM), Espanha ;   Universidad de Alicante (UA), Espanha  
Vinculado à bolsa:13/06196-4 - Estudo da comunidade edáfico-epígea como um sistema complexo e auto-organizado, BP.PD
Assunto(s):Indicadores biológicos

Resumo

Os ecossistemas secos, áridos e semiáridos, são considerados muito frágeis e de baixa resiliência. Nesses locais, pequenas perturbações podem gerar deslocamentos catastróficos e degradação do solo, dificultando as ações de conservação e restauração. Embora sejam regiões importantes, pouco se conhece sobre a dinâmica dos eventos que levam à desertificação, o que dificulta prever os eventos catastróficos. Os Arthropoda que vivem no solo são considerados elementos fundamentais na manutenção e funcionamento dos processos ecológicos edáficos e são bons indicadores do funcionamento desses processos. O presente projeto de pesquisa, utilizando parâmetros da comunidade edáfico-epígea, visa (1) encontrar indicadores do retorno dos processos ecológicos nos projetos de restauração nos ambientes secos ameaçados pela desertificação, (2) identificar parâmetros estruturais e funcionais mínimos dessas comunidades, os quais permitam inferir sobre a saúde do solo em áreas sob efeito do processo de desertificação (3) identificar os efeitos da entropia na estruturação dessas comunidades. Adicionalmente, será avaliada a eficiência da densidade de plantio vegetal na restauração de processos ecológicos, utilizando a fauna como ferramenta de avaliação. O estudo será realizado na região de San Vicente, Espanha. Os dados da comunidade de Arthropoda serão levantados aproximadamente oito meses após o plantio, repetido as coletas segundo as estações climáticas locais. Serão aplicados protocolos funcionais para avaliação da saúde do solo, comparando esses parâmetros com os índices de diversidade, os padrões qualitativos e também os quantitativos da fauna. Dados da fauna de sites não restaurados, sites restaurados e ecossistemas maduros serão organizados em redes de interação, para avaliação dos padrões estruturais de fauna como sistemas complexos auto-organizados em diferentes níveis sucessionais. Esperamos encontrar (1) indicadores faunísticos capazes de prever mudanças catastróficas nos ambientes secos, (2) determinar como o arranjo estrutural da comunidade permite identificar o bom funcionamento dos processos ecológicos e (3) qual o efeito da entropia nos padrões gerais da Comunidade, comparando os resultados obtidos nos ambientes secos com os resultados obtidos em locais de solo fértil. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MELONI, FERNANDO; NAKAMURA, GILBERTO M.; GRANZOTTI, CRISTIANO R. F.; MARTINEZ, ALEXANDRE S. Vegetation cover reveals the phase diagram of patch patterns in drylands. PHYSICA A-STATISTICAL MECHANICS AND ITS APPLICATIONS, v. 534, NOV 15 2019. Citações Web of Science: 1.
MELONI, FERNANDO; FABRI GRANZOTTI, CRISTIANO ROBERTO; BAUTISTA, SUSANA; MARTINEZ, ALEXANDRE SOUTO. Scale dependence and patch size distribution: clarifying patch patterns in Mediterranean drylands. ECOSPHERE, v. 8, n. 2 FEB 2017. Citações Web of Science: 7.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.