Busca avançada
Ano de início
Entree

Semântica e valor cognitivo

Processo: 13/22364-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2014
Vigência (Término): 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia
Pesquisador responsável:Marco Antonio Caron Ruffino
Beneficiário:Filipe Martone de Faria
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/11895-1 - Semântica e valor cognitivo, BE.EP.MS
Assunto(s):Semântica   Filosofia da linguagem   Epistemologia

Resumo

A semântica deve, além de explicar a relação entre palavras e realidade, se preocupar com a dimensão cognitiva da linguagem? Uma teoria semântica precisa ser epistemologicamente sensível, i.e., ser capaz de explicar certos fenômenos cognitivos que envolvem expressões linguísticas? Em "O sentido e a referência", de Frege, encontramos claramente uma concepção de semântica que pressupõe uma resposta afirmativa a essa questão. Mais do que isso, a explicação do valor cognitivo das expressões é parte essencial de seu projeto de semântica. Durante muito tempo, ainda que de maneira implícita, essa foi a concepção mais amplamente aceita pelos filósofos, até mesmo pelos maiores nomes da teoria da referência direta, como John Perry e David Kaplan. Mesmo defendendo teorias anti-fregeanas por natureza, ambos compartilham do pressuposto de que é tarefa da semântica explicar certos fenômenos de valor cognitivo. Em outras palavras, alguns filósofos tentaram adequar a teoria da referência direta - avessa aos princípios fregeanos mais fundamentais - ao projeto fregeano de semântica. Somente na década de 80, no artigo "Has semantics rested on a mistake?" de Howard Wettstein, é que essa concepção foi explicitamente criticada. Para ele, a semântica não deve se preocupar com a dimensão cognitiva da linguagem, e qualquer projeto desse tipo está fadado ao fracasso. Meu objetivo central é estudar essa crítica, tão pouco explorada pela literatura, e avaliar se ela é razoável.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.