Busca avançada
Ano de início
Entree

Vilas ferroviárias da antiga Companhia Paulista: uma investigação sobre a história e preservação de alguns conjuntos residenciais

Processo: 13/23935-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2014
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Maria Lucia Caira Gitahy
Beneficiário:Luciana Massami Inoue
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):História do trabalho

Resumo

O propósito deste projeto é estudar a história social das vilas ferroviárias da Companhia Paulista e contribuir para a discussão sobre a preservação das mesmas. Não se pretende fazer um estudo exaustivo das vilas ferroviárias das diversas companhias ferroviárias espalhadas pelo estado de São Paulo, constituindo um patrimônio aproximado de mais de 6.000 imóveis residenciais, mas sim um recorte temático, elegendo algumas das vilas ferroviárias de uma única companhia, a Companhia Paulista, escolhida por algumas razões, dentre elas: foi a primeira constituída com capital nacional, resultado da união de fazendeiros, cafeicultores do Estado; nela trabalharam importantes figuras da engenharia brasileira como Adolfo Pinto e Antônio Francisco de Paula Souza; empregava um grande número de trabalhadores; enfim, possuía uma grande penetração tanto geográfica, como política, econômica e social. Apoiado na bibliografia que trata especificamente de vilas ferroviárias, dentre as vilas elencadas, escolhemos inicialmente seis, ainda não analisadas e por apresentarem um número considerável de casas e se localizarem geograficamente próximas, no "coração" do estado de São Paulo, a saber: Itirapina, Brotas, Dois Córregos, Jaú, São Carlos e Rincão Ao analisar tais vilas ferroviárias, o projeto de pesquisa busca contemplar: o estudo da história social e arquitetônico destas vilas ferroviárias da Companhia Paulista; e verificar o seu estado atual de conservação, o que leva à discussão da preservação dos conjuntos residenciais, bem como o processo de tombamento e sua dinâmica. Há um grande paralelismo entre as vilas operárias e ferroviárias, constituindo-se as vilas parte de um importante patrimônio industrial.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
INOUE, Luciana Massami. Fim da linha? Vilas ferroviárias da Companhia Paulista (1868-1961): uma investigação sobre história e preservação. 2017. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.