Busca avançada
Ano de início
Entree

Uma cidade, um shopping, uma experiência: o shopping Iguatemi Ribeirão Preto e as relações reais e simuladas com o espaço urbano

Processo: 14/01153-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2014
Vigência (Término): 31 de março de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Eda Maria Góes
Beneficiário:Marina Clementoni Costa Borges
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/20155-3 - Lógicas econômicas e práticas espaciais contemporâneas: cidades médias e consumo, AP.TEM
Assunto(s):Consumo   Geografia urbana   Espaço urbano   Shopping centers

Resumo

Esta proposta se articula ao Projeto Temático FAPESP "Lógicas econômicas contemporâneas: cidades médias e consumo", no qual as práticas espaciais e as lógicas econômicas, ligadas ao consumo no e do espaço, são tomadas como possibilidades de se fazer a leitura das transformações urbanas e das cidades, em seis cidades médias: Marília, Presidente Prudente, São Carlos, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e Londrina. Seu foco específico recai sobre o Shopping Iguatemi de Ribeirão Preto - SP, valorizando a oportunidade particular proporcionada pela observação da trajetória de um shopping center desde a sua inauguração, o que possibilita além da análise dos discursos e imagens nos quais a campanha publicitária que preparou a inauguração se pautaram, como as relações entre o shopping projetado e o shopping efetivamente praticado. Pretendemos atentar especialmente para as práticas espaciais de seus usuários, como inter-relacionam ou distinguem os espaços públicos e privados, como se relacionam com a diversidade socioespacial presente nesses espaços e como lidam com as formas de controle social desse shopping center. Avaliaremos também o papel que o Shopping Iguatemi Ribeirão Preto desempenha nos processos atuais de produção do espaço urbano, em especial nos processos de segregação e de fragmentação socioespacial. Para tanto, pretendemos realizar observação cotidiana das práticas dos seus usuários (consumidores, trabalhadores e comerciantes), em diferentes dias e horários; bem como realizar entrevistas com usuários previamente identificados como representativos do shopping center. Com isso, esperamos trazer uma contribuição à reflexão sobre as relações entre espaços, tempos, controle social e consumo, e suas articulações ou não com os espaços mais amplos da cidade. (AU)