Busca avançada
Ano de início
Entree

Metabolismo do triptofano e resistência a carrapatos

Processo: 14/04755-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2014
Vigência (Término): 30 de novembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Isabel Kinney Ferreira de Miranda Santos
Beneficiário:Angélica Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/14995-1 - Metabolismo do triptofano e resistência a carrapatos, AP.R
Assunto(s):Triptofano   Imunoparasitologia   Carrapatos

Resumo

Metabolitos derivados do metabolism não protéico do triptofano (TRY) afetam processos neurológicos, comportamentais, imunológicos e semioquimicos em vertebrados e em artrópodes. No entanto, quase nada é conhecido sobre seu papel nos carrapatos e nas respostas dos hospedeiros às picadas desse ectoparasita. A fim de elucidar os mecanismos de imunidade contra carrapatos nós exploramos um modelo de fenótipos contratantes de infestações que diferentes raças de bovinos apresentam e no qual perfilamos a expressão gênica global em pele infestada e não infestada por carrapatos. A análise funcional dos genes diferencialmente expressos com Metacore indicou que o metabolism de TRY é um componente muito significativo tanto das reações locais aos carrapatos quanto dos desfechos distintos apresentados pelos fenótipos contrastantes. Neste projeto confirmaremos e elucidaremos o papel do metabolism do TRY nas infestações com carrapatos no nosso modelo. Para tanto quantificaremos a expressão de genes candidatos em pele e em leucócitos de sangue de bovinos infestados controladamente com um arranjo de PCR contruído especificamente para este fim e curado pelo Metacore e pela nossa garimpagem da literatura. Mediremos metabolitos de TRY na pele, urina e sangue de animais infestados e livres de carrapatos e caracterizaremos os componentes químicos obtidos de esfregaços de pele. Também interferiremos em pontos seletos do metabolismo do TRY e depois mediremos em bovinos antes e depois de infestações controladas os seguintes parâmetros: o desfecho metabólico na pele, urina e sangue; o desfecho das infestações; o desfecho do ciclo do folículo piloso, a expressão dos genes candidatos; a inflamação de pele. Em cruzamentos entre raças que apresentam fenótipos extremos de infestação (Girolandos) também sequenciaremos produtos de PCR dos principais genes identificados nos estudos de expressão gênica. Procuraremos por polimorfismos únicos de nucleotídeos nesses produtos e examinaremos se estão associaidos significativamente com os fenótipos de infestação, com níveis de metabolitos de TRY e com produção de semioquímicos. Esperamos gerar evidências de que o metabolismo do TRY tem um papel na resistência aos carrapatos.