Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de células-tronco mesenquimais de cordão umbilical humano em lesão de órgãos e a disfunção endotelial na sepse

Processo: 13/09179-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2014
Vigência (Término): 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Lucia da Conceição Andrade
Beneficiário:José Manuel Cóndor Capcha
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/19012-0 - Avaliação da terapia com células-tronco hematopoiéticas na doença renal crônica em cães, AP.TEM
Assunto(s):Nefrologia   Disfunção endotelial   Células-tronco mesenquimais   Sepse   Cordão umbilical

Resumo

A sepse tem grande importância em termos de saúde pública. No Brasil, segundo os casos clínicos apresentados, se demostra que o país possui uma alta incidência e que está projetada a seguir crescendo à medida que a população envelhece. A sepse é uma doença sistêmica e são envolvidas muitas alterações; a resposta do estado hiperinflamatório envolve o sistema imunológico na tentativa de eliminar os agentes patogênicos causadores da doença, porém, este processo também produz coletivamente a hipotensão sistêmica, distúrbio de coagulação, disfunção intravascular e hemodinâmica, isquemia de órgãos-alvo e disfunção de múltiplos órgãos.Em pesquisas realizadas com ratos no modelo de sepse, a administração de células tronco-mesenquimais (CTM) promoveu a diminuição do efeito sistêmico da doença, protegendo alguns órgãos-alvo. As CTM possuem a capacidade de migrar para os locais de lesão, reduzir a resposta inflamatória local e sistêmica, inibir a apoptose em tecidos lesados, estimular neoangiogênese, ativar populações residentes de células-tronco, aumentar o clearance bacteriano e a reduzir a atividade de neutrófilos no tecido lesado. A maioria dos estudos de terapia celular com CTM na sepse mostram bons resultados, porém existem pesquisas com resultados contraditórios; demostraram que a terapia com CTM apoptóticas de tecido adiposo na sepse diminui a circulação de TNF-±, diminui os números de células T helper, células T citotóxicas e células T reguladoras, tanto de sangue periférico quanto de baço, com melhora na sobrevida dos animais, em comparação às CTM normais. Esta variabilidade pode-se dever a heterogeneidade da sepse grave ou a diferença entre as fontes de isolamento, pois se sabe que as CTM de tecido diferente também tem capacidade imunorreguladora diferente. Acreditamos que as possibilidades terapêuticas precisam de maior pesquisa antes de transferi-la para a aplicação clínica. Assim, nos propomos a estudar em modelo de sepse experimental (ligadura e punção do cólon) a proteção de CTM de cordão umbilical humano, na função renal. Neste estudo também avaliaremos a função cardíaca, imunológica e estudaremos as vias de uma possível proteção

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CONDOR, JOSE M.; RODRIGUES, CAMILA E.; MOREIRA, ROBERTO DE SOUSA; CANALE, DANIELE; VOLPINI, RILDO A.; SHIMIZU, MARIA H. M.; CAMARA, NIELS O. S.; NORONHA, IRENE DE L.; ANDRADE, LUCIA. Treatment With Human Wharton's Jelly-Derived Mesenchymal Stem Cells Attenuates Sepsis-Induced Kidney Injury, Liver Injury, and Endothelial Dysfunction. STEM CELLS TRANSLATIONAL MEDICINE, v. 5, n. 8, p. 1048-1057, AUG 2016. Citações Web of Science: 13.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.