Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de classificador fuzzy para avaliação de conforto térmico de bovinos de corte por meio da termografia de infravermelho

Processo: 13/26724-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2014
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Luciane Silva Martello
Beneficiário:Tatiana Fernanda Canata
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Estresse térmico   Zootecnia de precisão   Conforto térmico

Resumo

O índice de conforto térmico na produção animal é, geralmente, determinado baseado em variáveis ambientais, como a temperatura de bulbo seco (TBS) e umidade relativa do ar (UR). Entretanto, as medidas fisiológicas de termorregulação tais como temperatura retal (TR) e frequência respiratória (FR) são importantes indicadores do nível de conforto térmico dos animais, apesar de serem caracterizadas como invasivas e ou trabalhosas. Por outro lado, a termografia de infravermelho (TIV) tem sido estudada como uma alternativa para medida da temperatura fisiológica de modo não invasivo e fortemente associada aos mecanismos de termorregulação. A aplicação de sistemas baseados em Lógica Difusa (Fuzzy) para tratar as informações heurísticas sobre o comportamento animal tem sido investigada. Desse modo, o principal objetivo deste trabalho de pesquisa é o desenvolvimento de um classificador baseado em Fuzzy que integre os fatores ambientais e as características inerentes aos animais a fim de determinar o nível de conforto térmico para um possível controle de seu ambiente. Para a elaboração do Classificador Fuzzy de Conforto Térmico (CFT), o experimento será realizado pelo período de seis meses utilizando dezoito bovinos da raça Nelore para avaliação das medidas fisiológicas e de TIV em diferentes regiões do corpo, tais avaliações serão feitas durante dez dias em três horários do dia. A variável de saída do CFT será relacionada com a TR através de regras heurísticas construídas pela associação das variáveis linguísticas de entrada TBS, UR e TIV com a variável fisiológica TR. Para a elaboração do CFT serão reservados 70% dos dados obtidos, sendo que a análise estatística indicará as associações entre as variáveis de interesse, enquanto que os dados restantes (30%) serão para validação do Classificador. Além disso, as saídas geradas pelo CFT serão comparadas aos tradicionais índices de temperatura e umidade (ITU) para verificação do potencial desta ferramenta.