Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução dos padrões de consumo, convergência econômica e pegada de carbono do desenvolvimento: uma comparação Brasil-França (ECOPA)

Processo: 14/04424-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2014
Vigência (Término): 30 de abril de 2015
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Crescimento, Flutuações e Planejamento Econômico
Convênio/Acordo: ANR
Pesquisador responsável:Suani Teixeira Coelho
Beneficiário:Brunno Lopes de Farias Boyadjian
Instituição-sede: Instituto de Energia e Ambiente (IEE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/51466-7 - Evolution of consumption patterns, economic convergence and carbon footprint of development: a comparison Brazil-France, AP.TEM
Assunto(s):Gases do efeito estufa   Estudo comparativo   Brasil   França (país)   Consumo de energia elétrica

Resumo

Os caminhos de desenvolvimento para as transições de "baixo carbono" (ou seja, com pouca emissão de gases de efeito estufa -GEE) não são susceptíveis de serem alcançados apenas por meio de soluções tecnológicas: comportamento, notadamente os padrões de consumo, também terão que evoluir. No entanto, um pressuposto implícito em cenários de emissões de GEE é que, como a renda per capita converge entre os países, os padrões de consumo das famílias também tendem a convergir, levando a demandas elevadas de energia e recursos naturais, além de emissões de GEE muito altas. ECOPA visa examinar qual é a flexibilidade da relação entre renda per capita e padrões de consumo e assim traçar cenários de emissões futuras. Para isso, ECOPA analisa e compara os padrões de consumo e sua evolução, na França, uma "velha" economia industrializada; e o Brasil, uma economia em rápido crescimento. Em ambos os países, uma combinação de análise econométrica de dados de consumo, pesquisas domiciliares e estudos aprofundados de bens e serviços representativos serão usados para (I) mapear os padrões de consumo entre os grupos de renda, e (II) explorar os determinantes de suas mudanças ao longo do tempo. Forte ênfase será colocada sobre a obtenção de fluxos monetários e físicos consistentes. Isso é necessário para analisar as implicações de energia e as emissões de padrões de consumo, o que constitui um obstáculo teórico e empírico significativo. Finalmente, com base na análise retrospectiva, os cenários de como os padrões de consumo das famílias nos dois países podem evoluir serão construídos e assim computadas as implicações no consumo de energia e nas emissões de GEE. (AU)