Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação do papel de caspase-11 na ativação do inflamassoma e no controle da infecção em resposta a Coxiella burnetii e Legionella pneumophila

Processo: 14/00447-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2014
Vigência (Término): 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Dario Simões Zamboni
Beneficiário:Juliana Magro Ribeiro
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Imunidade inata   Piroptose   Legionella pneumophila   Inflamassomos

Resumo

A resposta imune inata depende de receptores de reconhecimento de padrões moleculares (PRRs) para identificar a presença de microrganismos e gerar uma resposta efetiva para controle da infecção. Os PRRs citoplasmáticos, como os pertencentes à família dos receptores Nod-like (NLRs), são fundamentais no reconhecimento de patógenos intracelulares, podendo induzir a ativação de caspase-1 pela agregação de fatores envolvidos na formação de uma plataforma molecular conhecida como inflamassoma. A ativação do inflamassoma culmina em fenômenos celulares importantes como secreção de citocinas, secreção não convencional de proteínas, morte celular inflamatória (piroptose) e controle da infecção. Recentemente foi demonstrado que o inflamassoma também pode ser ativado de uma maneira independente de caspase-1, em um processo dependente de outra caspase, a caspase-11. Ativação de caspase-11 pode levar a ativação de um processo de piroptose que posteriormente leva a indução de uma via dependente de Nlrp3, um NLR que induz ativação de caspase-1. No caso de Legionella pneumophila, ao menos duas vias distintas induzem ativação de caspase-1: uma via é dependente de Nlrc4 e Naip5 operando no reconhecimento da flagelina bacteriana, e outra via dependente de caspase-11, o que leva a piroptose independente de caspase-1. Essa segunda via leva a indução do inflamassoma de Nlrp3/Asc/caspase-1. No entanto, os mecanismos de indução do inflamassoma dependente de caspase-11 por L. pneumophila, não são bem compreendidos. Além disso, a contribuição de outros receptores para a ativação do inflamassoma pela bactéria é desconhecida. Já para Coxiella burnetii, um patógeno intracelular filogeneticamente próximo a L. pneumophila, não é observada a ativação do inflamassoma de caspase-11, nem de caspase-1. Investigações prévias do nosso grupo (dados em preparação para publicação) revelaram que a proteína efetora CBU_1823 (denominado de IcaA), que é secretada nas células por C. burnetii é capaz de inibir a ativação de caspase-1 e secreção de IL-1² de forma dependente de caspase-11. Desta forma, L. pneumophila e C. burnetii constituem dois patógenos importantes para compreender os mecanismos celulares pelos quais caspase-11 contribui para o controle da infecção por patógenos intracelulares. O objetivo geral deste projeto é investigar o papel de caspase-11 na ativação do inflamassoma e no controle da infecção, utilizando Coxiella burnetii e Legionella pneumophila como modelo de estudo. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.