Busca avançada
Ano de início
Entree

A natureza da categoria concessiva e sua realização linguística

Processo: 14/03509-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 21 de agosto de 2014
Vigência (Término): 20 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Maria Helena de Moura Neves
Beneficiário:André Vinícius Lopes Coneglian
Supervisor no Exterior: Eve E. Sweetser
Instituição-sede: Centro de Comunicação e Letras (CCL). Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM). Instituto Presbiteriano Mackenzie. São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of California, Berkeley (UC Berkeley), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:12/23239-6 - Os juntivos causais e concessivos do português brasileiro na perspectiva cognitivo-funcional: uma análise da ligação conceptual dos elementos gramaticais em uso nessa zona adverbial, BP.MS
Assunto(s):Linguística cognitiva   Gramática funcional   Pragmática

Resumo

Esta proposta se insere dentro de um projeto de mestrado intitulado "Os juntivos causais e concessivos do português brasileiro na perspectiva cognitivo-funcional: uma análise da ligação conceptual dos elementos gramaticais em uso nessa zona adverbial", no qual se investigam itens juntivos causais e concessivos buscando descrever seus aspectos funcionais e cognitivos. Na presente proposta, foca-se na concessão e nas construções concessivas a partir das perspectivas da linguística funcional (Givón, 1995, 2001, por exemplo) e da linguística cognitiva (Fauconnier, 1994, 1997; Fauconnier; Turner, 2002). Com base nessas perspectivas, a concessão e as construções concessivas são geralmente caracterizadas e descritas a partir de sua relação com as zonas semânticas do contraste e da causalidade-condicionalidade. É possível, ainda, caracterizar a concessão e as construções concessivas em termos de dinâmica de forças (Talmy, 1988, 2000). O objetivo principal desta proposta é definir a concessão como uma categoria conceptual, a partir da análise as construções linguísticas que instanciam essa relação conceptual, focalizando-se os itens juntivos concessivos. A investigação parte de duas hipóteses: a primeira hipótese, mais geral, é a de que a categoria semântica da concessão é melhor caracterizada como uma rede dinâmica de espaços mentais mesclados, na qual há forças em interação; a segunda hipótese, mais específica, é a de que os itens juntivos concessivos usados no discurso para explicitar a relação de concessão são meios linguísticos pelos quais a rede de espaços mentais é desenvolvida e elaborada. Os procedimentos de análise desta pesquisa são: a) estabelecer o conjunto de traços que permita a análise da concessão em termos de categoria conceptual, dado que essa relação conceptual está ancorada na categoria semântica mais primitiva da dinâmica de forças; b) interpretar os traços construcionais dos itens juntivos em análise examinando-se os componentes lexicais de sua base a partir de suas características semântico-pragmáticas, como implicatura, etc. A partir de uma busca na gramática de referência do português brasileiro (Neves, 2000), selecionou-se os seguintes itens juntivos para se analisar: ainda que, mesmo que, posto que, apesar (de) que, se bem que, por mais que, por muito que, por menos que, nem que. O universo de investigação desta pesquisa é composto de ocorrências coletas do Corpus do Português. (AU)