Busca avançada
Ano de início
Entree

Mutações germinativas na predisposição ao melanoma cutâneo

Processo: 14/04881-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2014
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Ana Cristina Victorino Krepischi
Beneficiário:Talita Ferreira Marques Aguiar
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07480-8 - Fatores genéticos e epigenéticos na etiologia do melanoma cutâneo, AP.R

Resumo

As síndromes de câncer hereditário são afecções genéticas nas quais tumores específicos são mais prevalentes em indivíduos de uma mesma família do que na população em geral. No caso do melanoma cutâneo, a maioria dos casos é esporádica, porém em pessoas com histórico familial, o risco de desenvolver este câncer aumenta significativamente. Mutações pontuais no gene CDKN2A são responsáveis por aproximadamente 40% dos casos familiais de melanoma cutâneo.Neste projeto, propomos a investigação de fatores genéticos raros como etiologia da predisposição ao melanoma em uma coorte de pacientes de melanoma hereditário, negativos quanto a mutações nos genes principais CDKN2A e CDK4. Investigaremos deleções e duplicações afetando exons do gene CDKN2A, que também poderiam gerar suscetibilidade a câncer e raramente são investigadas, e mutações no promotor do gene TERT, e também a variante E318K do gene MITF. Quanto ao gene TERT, um trabalho de 2013 identificou no promotor do gene uma mutação germinativa de alta penetrância em 5 membros de uma mesma família afetada por melanoma cutâneo em diferentes gerações. A variante E318K do gene MITF (microphthalmia-associated transcription fator) foi identificada em dois trabalhos independentes, predispondo ao melanoma familial, assim como ao melanoma esporádico e carcinoma de células renais. O gene MITF é um conhecido oncogene específico de melanomas, e a variante identificada seria um alelo de predisposição, conferindo risco intermediário.Adicionalmente, a bolsista participará de sequenciamento de exoma por Next-Generation Sequencing de um grupo de pacientes de melanoma familial. Este estudo foi iniciado no programa PIBIC de Iniciação Científica desenvolvida no AC Camargo Cancer Center, e encontra-se vinculado ao projeto de Auxílio Regular à Pesquisa recentemente aprovado processo 2013/07480-8, sob coordenação da Dra. Ana Krepischi.