Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da fragmentação sobre a frugivoria e uso de frutos artificiais em pesquisas ecológicas

Processo: 13/21685-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2014
Vigência (Término): 31 de março de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Milton Cezar Ribeiro
Beneficiário:Ligia Pereira de Souza
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Animais frugívoros

Resumo

A fragmentação pode alterar a composição da fauna ao longo do tempo e, consequentemente, de processos ecológicos necessários para a manutenção do ecossistema, como a frugivoria, predação e dispersão de sementes. O estudo das relações entre padrões espaciais e processos ecológicos permite entender como as alterações antrópicas afetam a biodiversidade na escala de paisagem. O presente estudo apresenta uma parte experimental em campo e outra focada na revisão de literatura para compreender o estado da arte do uso dos frutos artificiais em estudos ecológicos. Os objetivos são (1) estimar a contribuição relativa da posição no fragmento (interior, borda e corredor), do tamanho do fragmento e da porcentagem de vegetação no entorno sobre a frugivoria e (2) realizar uma revisão sistemática de literatura sobre o uso de frutos artificiais em estudos ecológicos visando analisar as tendências e novas oportunidades de pesquisas sobre o tema. Serão selecionadas 15 paisagens na Bacia do Rio Corumbataí-SP, sendo que em cada uma delas será amostrada a borda, o interior e o corredor de um fragmento focal. Para se avaliar o processo de frugivoria serão utilizados frutos artificiais que serão fixados em plantas arbustivas ou árvores jovens separadas 50 metros uma das outras. Em cada posição (interior, borda e corredor) serão selecionadas 15 plantas conforme disponibilidade espacial, sendo dispostos 15 frutos por planta. Os frutos serão verificados após sete dias, sendo classificados em consumidos (aves, mamíferos ou insetos), intactos ou simplesmente removidos. Para a análise de dados será utilizada uma abordagem de seleção de modelos por múltiplas hipóteses concorrentes com base na teoria de informação de Akaike (AIC) e Modelos Lineares Generalizados Mistos (GLMM). Os modelos a serem comparados são: a) posição (interior, borda, corredor), b) cobertura vegetal no entorno e c) área, além de combinação dessas variáveis. A revisão sistemática de literatura utilizará artigos que tratem sobre o uso ou que utilizam frutos artificiais. Serão avaliadas as tendências das pesquisas durante as décadas recentes, os métodos, escala de análise, avanços no conhecimento e regiões de estudo publicados sobre a temática.