Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinantes do tamanho da área de vida e da territorialidade em pequenos mamíferos

Processo: 14/05358-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2014
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Renata Pardini
Beneficiário:Gabriela de Lima Marin
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Ecologia de populações   Territorialidade animal   Mamíferos   Roedores   Mata Atlântica

Resumo

Área de vida é a área utilizada por um indivíduo para realizar suas atividades diárias. Já território é a parte defendida dessa área. Em teoria, deve haver defesa de território somente quando os benefícios (e.g. alimentos, parceiros reprodutivos ou abrigos) superam os custos (i.e. tempo, energia e risco de injúria/morte). Diversos fatores ecológicos podem influenciar essa relação custo-benefício, principalmente a abundância e a previsibilidade de recursos e a densidade populacional. No entanto, a influência desses fatores depende de características individuais, como o sexo e a condição reprodutiva, que determinam quais e quando os recursos são importantes. Devido ao rápido ciclo de vida e ao pequeno tamanho, os pequenos mamíferos são bons modelos para estudo de territorialidade a partir de dados de captura-recaptura em grades de armadilhas. Embora exista uma série de trabalhos sobre os padrões de distribuição espacial desse grupo, a maioria não analisa os determinantes da territorialidade. Esse projeto tem por objetivo investigar a importância relativa e a interação entre fatores ambientais (densidade populacional e abundância de recurso alimentar e de fêmeas reprodutivas) e características individuais (sexo, condição reprodutiva) na determinação do tamanho da área de vida e da territorialidade (grau de sobreposição das áreas de vida) para três roedores da Mata Atlântica. Para tanto, será utilizado um banco de dados coletados ao longo de 21 meses, através da captura e recaptura em três grades de 2 ha, na Reserva Florestal do Morro Grande. Os dados serão analisados a partir da seleção de modelos lineares generalizados mistos baseada no Critério de Informação de Akaike, considerando os indivíduos como unidades amostrais, os determinantes ambientais e as características individuais como fatores fixos, e as grades de captura como fatores aleatórios. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MARIN, Gabriela de Lima. Determinantes da sobreposição da área de vida no roedor Akodon montensis: implicações para os sistemas territoriais e de acasalamento. 2016. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências (IBIOC/SB) São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.